Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Por que Kim Jong Un quer que você conheça a filha dele

    Presença de Kim Ju Ae em desfiles militares, eventos importantes e em artigos na mídia estatal levantam especulações de que a criança seria a sucessora do líder norte-coreano

    Brad Lendonda CNN*

    Hong Kong

    Com a filha ao seu lado em dois eventos militares espetaculares esta semana, Kim Jong Un disse duas coisas ao mundo – a família Kim governará a Coreia do Norte por mais uma geração e terá as armas nucleares para garantir que ninguém possa contestar isso.

    Ju Ae, tem cerca de 9 anos e se acredita que seja a segunda filha de Kim. Ela juntou-se ao líder norte-coreano e sua esposa em um banquete chamativo em um quartel militar de Pyongyang na noite de terça-feira (7).

    Um dia depois, ela assistiu pelo menos 11 mísseis balísticos intercontinentais (ICBM) desfilarem pela Praça Kim Il Sung, na capital norte-coreana.

    “Ao incluir ostensivamente sua esposa e filha, Kim quer que observadores em casa e no exterior vejam a dinastia de sua família e os militares norte-coreanos como irrevogavelmente ligados”, disse Leif-Eric Easley, professor da Universidade Ewha, em Seul.

    Conheça os Kims

    O governo da família Kim na Coreia do Norte remonta a 1948, quando Kim Il Sung chegou ao poder após a Segunda Guerra Mundial.

    Quando Kim Il Sung morreu, em 1994, seu filho Kim Jong Il assumiu o controle – e quando Kim Jong Il morreu, em dezembro de 2011, seu filho Kim Jong Un chegou ao poder.

    Observadores ocidentais acreditam que Kim Jong Un tem três filhos e que Ju Ae é a do meio, embora isso não possa ser verificado por ninguém fora da Coreia do Norte.

    Relatos da mídia norte-coreana sobre os eventos militares desta semana descreveram Ju Ae como a filha “respeitada” e “amada” de Kim.

    O astro do basquete americano Dennis Rodman revelou que Kim teve um bebê chamado Ju Ae quando visitou Pyongyang em 2013, dizendo ao jornal britânico “The Guardian” depois: “Eu segurei o bebê Ju Ae e falei com [a esposa de Kim] também”.

    A idade do bebê que Rodman segurou parece se encaixar na idade da menina que estava nos eventos desta semana.

    O líder norte-coreano Kim Jong Un visitou quartéis de oficiais militares com sua filha Kim Ju Ae e sua esposa, Ri Sol Ju, para marcar o 75º aniversário da fundação do Exército do Povo Coreano (KPA), informou a mídia estatal na terça-feira / Rodong Sinmun

    Não é um pouco cedo para um sucessor?

    Há um precedente histórico para Kim identificar seu sucessor tão cedo, porque foi isso que seu pai, Kim Jong Il, fez com ele, disse Cheong Seong-chang, analista sênior do Instituto Sejong, na Coreia do Sul.

    “Sabe-se que Kim Jong Il disse a seus assessores que Kim Jong Un seria seu sucessor enquanto cantava uma música chamada ‘Footsteps’ para elogiar Kim Jong Un em seu 8º aniversário”, disse Cheong. No entanto, ele acrescentou que o mundo exterior não sabia disso na época.

    “Durante muito tempo circularam rumores e especulações de que o primeiro filho de Kim Jong Il, Kim Jong Nam, ou o segundo filho, Kim Jong Chol, seria o sucessor”, disse Cheong.

    Quando a filha de Kim chamou a atenção?

    A especulação de que Ju Ae seria a sucessora de Kim surgiu em novembro passado, quando a mídia estatal divulgou fotos dela e de Kim inspecionando um míssil balístico norte-coreano antes de um lançamento de teste.

    O legislador sul-coreano e secretário do Serviço Nacional de Inteligência, Yoo Sang-bum, disse que, após o lançamento, acreditava-se que a garota era Ju Ae.

    A mídia estatal norte-coreana publicou uma reportagem no fim daquele mês com fotos de Kim e da menina, descrevendo-a como sua filha “mais amada”, disse Cheong.

    Fotos na mídia norte-coreana também mostraram a garota visitando uma fábrica de mísseis com seu pai perto do fim de 2022.

    Kim Jong Un aparece em público com sua filha pela primeira vez / Reprodução/Reuters

    Caso de sucessão…

    Cheong disse que está convencido de que a presença da menina em eventos recentes e como ela é referida na mídia estatal mostra que ela está sendo preparada para suceder seu pai.

    O jornal estatal norte-coreano “Rodong Sinmun” menciona a menina antes da esposa de Kim em artigos e usa os adjetivos “amada” e “respeitada” para transmitir a ela um status especial, disse ele.

    “O início desse culto à personalidade de Kim Ju Ae sugere que, embora ela ainda não tenha [recebido] o status de sucessora oficial […] ela é de fato a sucessora designada”, disse Cheong.

    Ele acrescentou que, para a menina suceder o pai, ela precisaria do apoio dos militares. Colocá-la na primeira fila dos eventos militares desde cedo permitirá que ela estabeleça credibilidade com os militares ao longo do tempo, disse Cheong.

    … Ou isso é apenas um golpe de relações públicas?

    Filha de Kim Jong Un em evento luxuoso / Rodong Sinmun

    Outros observadores não estão convencidos. As aparições recentes da menina podem ser simplesmente uma maneira de redirecionar a atenção do mundo de volta para as forças armadas de Pyongyang, após a fadiga do público depois um ano de testes recordes de mísseis, disse Chun In-bum, um general sul-coreano aposentado.

    “Acho que os norte-coreanos descobriram que essa é uma maneira de chamar a atenção internacional. E assim, com todo o interesse que está acumulando, eles estão se divertindo”, disse ele.

    “Ao longo de suas sete décadas de história, seus sucessores sempre foram um mistério para nós. Por que eles mudariam seu modo de operação agora? Então, se eu fosse apostar US$ 5, diria que ela não é a sucessora”, disse Chun.

    E os mísseis?

    Embora ainda haja muito debate sobre Ju Ae, há poucas dúvidas sobre o desejo de seu pai de ter poder militar suficiente para manter sua família governando.

    A exibição de pelo menos 11 mísseis balísticos intercontinentais Hwasong-17 (ICBMs) na noite de quarta-feira (8) mostra que os militares norte-coreanos estão cumprindo o apelo de Kim feito no final de 2022 para um “aumento exponencial” no arsenal nuclear de seu país em resposta ao que ele disse afirma serem ameaças da Coreia do Sul e dos Estados Unidos.

    Ankit Panda, especialista em política nuclear do Carnegie Endowment for International Peace, disse nas redes sociais que, se cada um desses mísseis fosse equipado com várias ogivas nucleares, eles poderiam representar volume suficiente para sobrecarregar as defesas de mísseis balísticos dos EUA.

    Míssil é exibido durante desfile militar para comemorar o aniversário de 75 anos do Exército da Coreia do Norte, em Pyongyang – 08/02/2023 / KCNA via REUTERS

    Combustível sólido x combustível líquido

    Seguindo os Hwasong-17 no desfile da noite de quarta-feira, havia exemplos do que os analistas acreditam que poderia ser um ICBM de combustível sólido, um avanço na tecnologia do Hwasong-17 de combustível líquido.

    Mísseis movidos a combustível líquido levam mais tempo para se preparar para o lançamento; mísseis de combustível sólido estão prontos para disparar a qualquer momento.

    “Se for esse o caso, dá [à Coreia do Norte] mais mobilidade, flexibilidade, letalidade e assim por diante”, disse Chun, o ex-general sul-coreano.

    Mísseis de combustível sólido em lançadores móveis dariam ao regime de Kim “a capacidade de atacar um oponente com muito, muito pouco aviso prévio”, disse Chun. “É um cenário realmente assustador”.

     

    (Com informações de Yoonjung Seo e Paula Hancocks, da CNN)

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original