Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Presidente da Polônia quer mudar Constituição para proibir adoção por casal LGBT

    Andrzej Duda fez proposta nesta segunda antes de concorrido segundo turno, no próximo fim de semana; ele disse que proposta visa segurança e o bem das crianças

    Andrzej Duda, presidente da Polônia, quer proibir adoção de crianças por casais LGBT
    Andrzej Duda, presidente da Polônia, quer proibir adoção de crianças por casais LGBT Foto: Reuters

    Ouvir notícia

    O presidente da Polônia, Andrzej Duda, propôs nesta segunda-feira (6) uma mudança na Constituição do país para proibir a adoção de crianças por casais gays. A medida foi anunciada antes de um concorrido segundo turno eleitoral, no próximo domingo (12).

    O opositor da centrista Plataforma Cívica (PO), Rafal Trzaskowski, atual prefeito de Varsóvia, afirmou no fim de semana que também é contra a adoção de crianças por casais LGBT.

    Duda é aliado do Partido Nacional da Lei e Justiça (PiS), que considera os direitos LGBT uma influência estrangeira invasora que mina os valores tradicionais da Polônia.

    Para mudar a Constituição, é preciso o voto de dois terços dos membros da câmara baixa do Parlamento. Após eleição em outubro, o PiS governa com uma pequena maioria e não possui cadeiras suficientes para realizar essas mudanças.

    Assista e leia também:

    Diversidade é aposta das empresas para retomada competitiva no pós-pandemia

    Bolsonaro suspende ida para Polônia, Hungria e Itália por causa de coronavírus

    Duda disse que espera conseguir um apoio mais amplo à sua proposta, incluindo alguns membros da PO, do grupo agrário PSL e do partido da Confederação, de extrema direita.

    “Estou convencido de que, graças a isso, a segurança e a preocupação pelo bem das crianças serão garantidas em uma extensão muito maior”, disse Duda em um evento em Varsóvia.

    A mudança constitucional especificaria que apenas casais heterossexuais poderiam adotar filhos, disse ele. Os tribunais teriam o direito de verificar os casais para garantir que eles se encaixem na definição.

    Um porta-voz da PO disse que o partido era contra a mudança constitucional proposta por Duda. Trzaskowski havia dito anteriormente que era a favor de parcerias civis para gays e propôs um programa de educação sexual em Varsóvia que ensinaria sobre questões LGBT para as crianças.

    No mês passado, Duda disse que a ideologia LGBT era pior que o comunismo e prometeu proibir o ensino sobre questões LGBT nas escolas, em um esforço para, segundo ele, proteger o que ele vê como a família tradicional.

    A Polônia foi classificada neste ano como o pior país da União Europeia em relação aos direitos LGBT, em uma pesquisa realizada pela ONG ILGA-Europa, com sede em Bruxelas.

    Mais Recentes da CNN