Presidente de Burkina Faso é detido em acampamento militar durante motim

Manifestantes saíram para apoiar os amotinados e saquearam a sede do partido político de Roch Kaboré

Frustração aumentou em Burkina Faso nos últimos meses devido à morte frequente de civis e soldados por militantes
Frustração aumentou em Burkina Faso nos últimos meses devido à morte frequente de civis e soldados por militantes Reuters/Reprodução

Reuters

Ouvir notícia

O presidente de Burkina Faso, Roch Kaboré, foi detido em um acampamento militar por soldados amotinados, disseram quatro fontes de segurança e um diplomata da África Ocidental nesta segunda-feira (24), após intensos tiros em torno de sua residência na noite de domingo (23) na capital Ouagadougou.

Sua detenção ocorre após tiroteios contínuos de acampamentos militares no país da África Ocidental durante todo o domingo, com soldados exigindo mais apoio para sua luta contra militantes islâmicos. O governo negou que o exército tivesse tomado o poder.

O paradeiro ou situação exata de Kaboré era desconhecido na manhã de segunda-feira, com relatos conflitantes circulando entre fontes diplomáticas e de segurança.

Vários veículos blindados da frota presidencial, crivados de balas, podiam ser vistos perto da residência do presidente. Um estava salpicado de sangue. Moradores do bairro do presidente relataram tiroteios pesados ​​durante a noite.

Fontes do governo não puderam ser contatadas imediatamente. A frustração aumentou em Burkina Faso nos últimos meses devido à morte frequente de civis e soldados por militantes, alguns dos quais têm ligações com o Estado Islâmico e a Al Qaeda.

Manifestantes saíram para apoiar os amotinados no domingo e saquearam a sede do partido político de Kaboré. O governo decretou um toque de recolher até novo aviso e fechou as escolas por dois dias.

A turbulência em Burkina Faso ocorre após golpes militares bem-sucedidos nos últimos 18 meses nos vizinhos Mali e Guiné, onde o exército removeu o presidente Alpha Condé em setembro passado. A África Ocidental, que até recentemente parecia ter perdido sua reputação de “cinturão de golpes” da África, continua suscetível a esses movimentos.

Os militares também assumiram o poder no Chade no ano passado, depois que o presidente Idriss Déby morreu no campo de batalha. Burkina Faso é um dos países mais pobres da África Ocidental, apesar de ser produtor de ouro.

Seu exército sofreu pesadas perdas nas mãos de militantes islâmicos, que controlam partes do país e forçaram os moradores dessas áreas a cumprir sua versão dura da lei islâmica. A revolta ressalta as consequências políticas da crescente insurgência em toda a região do Sahel.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN