Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Proposta de cessar-fogo aceita pelo Hamas é diferente da que Israel ajudou a fazer

    Autoridade dos EUA afirmou que proposta pede fim da guerra, algo que Benjamin Netanyahu não aceitará

    Militares israelenses perto da fronteira com Gaza
    Militares israelenses perto da fronteira com Gaza 3/4/2024 REUTERS/Hannah McKay

    Da CNN

    O Hamas concordou nesta segunda-feira (6) com uma proposta de cessar-fogo para a Faixa de Gaza que diverge daquela que Israel ajudou a elaborar com o Egito há mais de uma semana, disseram autoridades de Israel e dos Estados Unidos.

    Essa proposta pede o fim da guerra, algo que o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse que não aceitará, segundo a fonte americana.

    “Isso inclui o fim permanente das hostilidades, o que é uma linha vermelha para Netanyahu”, destacou.

    “Esta não é a mesma posição [de Israel]”, advertiu a fonte israelense.

    A autoridade israelense ressaltou que seu governo está enviando uma delegação para se reunir com mediadores egípcios e cataris, a fim de compreender melhor a última proposta e determinar se um acordo pode ser aceito.

    Hamas aceita proposta de cessar-fogo

    O chefe do gabinete político do Hamas, Ismail Haniyeh, ligou para mediadores para informar que o grupo armado aceitou uma proposta para um acordo de cessar-fogo e libertação de reféns feita pelo Catar e pelo Egito.

    Uma fonte afirmou à CNN que o acordo que o grupo armado aceitou é diferente daquele que Israel ajudou a construir com os mediadores de Catar e Egito.

    Israel ainda não aceitou a medida, mas Netanyahu afirmou que enviará uma delegação para negociações.

    “Paralelamente, embora a proposta do Hamas esteja longe das exigências necessárias de Israel, Israel enviará uma delegação de trabalho aos mediadores, a fim de chegar a um acordo em condições aceitáveis para Israel”, afirmou.

    Uma fonte diplomática familiarizada com as discussões disse à CNN que, depois de uma reunião em Doha, capital do Catar, entre o diretor da CIA, a agência de inteligência dos EUA, William Burns, e o primeiro-ministro do Catar, Sheikh Mohammed bin Abdulrahman Al Thani, os mediadores convenceram o Hamas a aceitar um acordo de três fases.

    Os Estados Unidos ressaltaram que estão analisando a resposta do Hamas, enquanto o presidente da Turquia pediu que Israel aceite o acordo.

    *com informações da Reuters