Putin “reconheceu que não tem vitória para comemorar”, diz embaixadora dos EUA à CNN

Linda Thomas-Greenfield comentou o discurso do presidente russo no "Dia da Vitória" e os rumos da guerra na Ucrânia

Conferência de imprensa da Embaixadora dos EUA para as Nações Unidas (ONU), Linda Thomas-Greenfield
Conferência de imprensa da Embaixadora dos EUA para as Nações Unidas (ONU), Linda Thomas-Greenfield Lev Radin/Pacific Press/LightRocket via Getty Images

Kylie AtwoodJennifer Hanslerda CNN

Ouvir notícia

Vladimir Putin “reconheceu que não tem vitória para comemorar”, afirmou a embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas (ONU), Linda Thomas-Greenfield, à CNN. A fala aconteceu em resposta à falta de um grande anúncio de escalada no discurso do “Dia da Vitória” do presidente da Rússia nesta segunda-feira (9).

Mas o líder russo também não deu nenhuma indicação de que planeja acabar com a guerra na Ucrânia, ela advertiu.

Na primeira reação de um funcionário do governo Biden ao discurso de Putin, Thomas-Greenfield observou à CNN que ele não anunciou uma retirada de tropas da Ucrânia – que teria sido bem recebida pelos Estados Unidos – o que sinaliza que a guerra continuará.

“Não havia razão para (Putin) declarar vitória ou declarar uma guerra que ele já leva há mais de dois meses”, disse a embaixadora.

“Seus esforços na Ucrânia não tiveram sucesso”, acrescentou, adicionando que “ele não foi capaz de entrar na Ucrânia e colocá-los de joelhos em poucos dias e fazer com que eles se rendessem.”

Durante um discurso comemorativo da derrota da Alemanha nazista pela Rússia no final da Segunda Guerra Mundial, Vladimir Putin reiterou sua acusação infundada de que o Ocidente não lhe deixou escolha a não ser invadir a Ucrânia. Os shows aéreos planejados para o Dia da Vitória foram cancelados em todo o país, levantando questões sobre o porquê.

O discurso forneceu poucos detalhes sobre como a Rússia planeja proceder na Ucrânia. Seguiram-se dias de especulação de que o líder russo usaria o evento para declarar formalmente guerra ou ordenar uma mobilização em massa de forças do exército para prosseguir com um conflito que já se estendeu em seu terceiro mês, com pesadas perdas russas.

Apesar da falta de uma vitória militar rápida, Greenfield-Thomas destacou que o “conflito não acabou, com certeza”.

“Ele não anunciou uma retirada. Ele não anunciou um acordo com os ucranianos”, pontuou ela à CNN. “Então, eu suspeito, e todos nós avaliamos, que este pode ser um conflito de longo prazo que pode continuar por meses”.

Além disso, seria muito forte dizer que os Estados Unidos “receberam” os comentários do presidente da Rússia desta segunda-feira, disse Thomas-Greenfield à CNN, porque a “guerra inescrupulosa contra o povo ucraniano” continua.

“Então, o que veríamos como um sinal positivo é que Putin retire suas tropas da Ucrânia e ponha fim a essa guerra inescrupulosa”, finalizou.

Rússia “não tem nada para comemorar”

No domingo (8), Linda Thomas-Greenfield também comentou sobre as celebrações do “Dia da Vitória” e como a guerra da Ucrânia poderia ser abordada no evento.

Segundo a embaixadora, o Kremlin “não tem nada a comemorar”, acrescentando que vão continuar trabalhando em conjunto aos ucranianos para “documentar evidências dos crimes de guerra”.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN