Reconstrução de Notre-Dame é retomada após pausa por COVID-19

Trabalhos foram suspensos por mais de um mês por conta de pandemia

da CNN

Ouvir notícia
 
Catedral de Notre-Dame, em Paris
Catedral de Notre-Dame, em Paris, passa por reparos após incêndio
Foto: Charles Platiau/Reuters (13.abr.2020)

 

Trabalhadores da construção civil voltaram à Catedral de Notre-Dame, em Paris, nesta segunda-feira (27) para retomar a gigantesca tarefa de reconstruir o local. Os trabalhos foram pausados por um mês e meio por causa da pandemia do novo coronavírus.

A França é um dos países mais afetados pela COVID-19, com 122.875 casos e 22.580 mortes.

O prédio de 850 anos, um símbolo da arquitetura gótica, foi envolvido por um incêndio em 15 de abril de 2019. As chamas engoliram o pináculo e o telhado e, segundo autoridades, por meia hora não destruíram completamente a catedral.

Leia também:

Catedral de Notre-Dame toca sinos no aniversário de um ano do incêndio

O presidente francês, Emmanuel Macron, prometeu reconstruir a catedral dentro de cinco anos, mas o trabalho até agora tem sido lento. Houve atrasos por conta do chumbo tóxico liberado pelo incêndio, pelas tempestades de inverno e, depois, por conta da COVID-19, que fechou o local em março.

O monsenhor Patrick Chauvet, reitor da catedral, disse que a atividade realizada na segunda-feira é tornar o local compatível com as regras de distanciamento social, para que o trabalho adequado possa ser retomado. Ele afirmou que os chuveiros dos trabalhadores seriam modificados e os vestiários adaptados para reduzir o risco de infecção.

“É verdade que perdemos um mês e meio”, disse Chauvet à Reuters. Mas, segundo ele, o projeto estava encaminhado para cumprir o prazo de cinco anos. “Não significa que toda a restauração será concluída, mas significa que poderemos entrar novamente na catedral.”

Chauvet contou que, quando o trabalho for retomado, a primeira tarefa será remover o emaranhado de metal que derreteu no fogo e se enredou na estrutura da catedral.

Com informações da Reuters

Tópicos

Mais Recentes da CNN