Rubens Barbosa: É improvável que encontro entre Bolsonaro e Biden resulte em alguma decisão

Presidentes do Brasil e dos Estados Unidos se encontram pessoalmente pela primeira vez na Cúpula das Américas

Layane SerranoRenata Souzada CNNPedro Pimentada CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

Embora uma das grandes expectativas desta edição da Cúpula das Américas seja o primeiro encontro presencial entre os presidentes Jair Bolsonaro (PL) e Joe Biden, a avaliação do especialista CNN Rubens Barbosa é de que a reunião não deve resultar em nenhum acordo decisivo.

“Para mim será uma surpresa se houver alguma coisa concreta que não sejam declarações de intenção quanto ao aumento do comércio bilateral, talvez alguma coisa sobre cadeias produtivas. Fora disso, acho muito difícil que haja alguma decisão no âmbito bilateral”, analisou.

Apesar disso, Barbosa ressalta que o encontro entre os presidentes é importante em termos simbólicos.

Indo para a sua nona edição, a cúpula ocorre entre esta segunda-feira (6) e a próxima sexta-feira (10), em Los Angeles, nos Estados Unidos.

O evento regional é realizado periodicamente e marca o encontro de líderes políticos do continente. O objetivo é discutir e definir ações para enfrentar problemas compartilhados pela região e avançar na integração.

Para Barbosa, a edição deste ano não deve trazer “nenhuma proposta importante”. Segundo ele, “os papéis apresentados pelo governo americano aos governos de todos os países, inclusive aqui no Brasil, são papéis muito genéricos”.

O especialista explica que a análise final da relevância do evento dependerá das declarações que serão dadas pelos líderes.

Por enquanto, na avaliação do ex-embaixador do Brasil em Washington, as pautas estão focadas nos interesses dos EUA: “a questão da democracia; a questão do comércio; a questão do meio ambiente; a questão da imigração; a questão de saúde. São temas genéricos que não vão afetar muito a relação entre todos os países aqui da região”.

Assista à íntegra da entrevista no vídeo acima.

 

*Sob supervisão

Mais Recentes da CNN