Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rússia coloca Zelensky na lista de procurados; Ucrânia minimiza

    Governo de Vladimir Putin emitiu mandados de prisão para vários políticos ucranianos e outros políticos europeus desde o início do conflito em fevereiro de 2022

    O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky
    O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky Theodore Manolopoulos/Assessoria de Imprensa da Presidência Grega/Divulgação via Reuters

    Vladimir Soldatkinda Reuters em Moscou

    A Rússia abriu um processo criminal contra o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, e o colocou na lista de procurados do governo de Vladimir Putin.

    A notícia foi relatada pela agência de notícias estatal russa TASS neste sábado (4), citando o banco de dados do Ministério do Interior da Rússia.

    Não foram fornecidos mais detalhes sobre a entrada do presidente da Ucrânia na lista.

    O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia observou que o próprio presidente russo, Vladimir Putin, foi sujeito a prisão sob um mandado do Tribunal Penal Internacional.

    “Gostaríamos de lembrar que, ao contrário dos anúncios russos inúteis, um mandado do Tribunal Penal Internacional para a prisão do ditador russo Vladimir Putin por suspeita de crimes de guerra é bastante real e está sujeito à implementação em 123 países”, disse o Ministério das Relações Exteriores em um comunicado.

    O governo ucraniano acrescentou que o anúncio russo era evidência do desespero da máquina estatal russa e da propaganda, que não consegue pensar em outra maneira de atrair a atenção”.

    A Rússia emitiu mandados de prisão para vários políticos ucranianos e outros políticos europeus desde o início do conflito com a Ucrânia em fevereiro de 2022.

    Em fevereiro deste ano, a polícia russa colocou o primeiro-ministro da Estônia, Kaja Kallas, o ministro da Cultura da Lituânia e membros do anterior parlamento letão numa lista de procurados por terem destruído monumentos da era soviética.

    A Rússia também emitiu um mandado de prisão para o promotor do Tribunal Penal Internacional (TPI), que no ano passado emitiu um mandado para o presidente Vladimir Putin por acusações de crimes de guerra.