Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Quem é Vladimir Putin e o que você precisa saber sobre ele

    Eleições na Rússia devem garantir vitória e quinto mandato para líder russo

    Presidente russo, Vladimir Putin, faz seu pronunciamento anual à Assembleia Federal
    Presidente russo, Vladimir Putin, faz seu pronunciamento anual à Assembleia Federal 29/02/2024Sputnik/Gavriil Grigorov/Kremlin via REUTERS

    Da CNN

    Veja os principais marcos da vida do presidente da Rússia, Vladimir Putin.

    Dados pessoais

    • Data de nascimento: 7 de outubro de 1952
    • Local de nascimento: Leninegrado (agora São Petersburgo), Rússia
    • Nome de nascimento: Vladimir Vladimirovich Putin
    • Pai: Vladimir Putin, operário em uma fábrica
    • Mãe: Maria Putin
    • Casamento: Lyudmila (Shkrebneva) Putin (28 de julho de 1983-2014, divorciados)
    • Filhos: Yekaterina e Maria
    • Educação: Estudou direito na Universidade Estadual de Leningrado
    • Religião: cristão ortodoxo

    Outros dados

    • Gosta de fazer exercícios e é faixa preta em judo.
    • Ele cresceu em um apartamento compartilhado por mais três famílias.
    • Serviu na KGB como agente de inteligência antes de se envolver na política.
    • Tornou-se presidente interino da Rússia em dezembro de 1999, com a renúncia de Boris Yeltsin, e foi eleito presidente em março de 2000.
    • Desde então, está no poder, mas entre 2008 e 2012 foi primeiro-ministro da Rússia.

    Cronologia

    1975 – Entra para a KGB (polícia secreta da União Soviética)

    1985 – É designado para a contra-espionagem em Dresden, Alemanha Oriental. Ele supervisionava a lealdade dos diplomatas soviéticos.

    1990 – Torna-se vice-reitor de assuntos internacionais na Universidade Estadual de Leninegrado. Ele supervisiona a lealdade dos estudantes e estrangeiros.

    1991 – Entra para a política e desiste da KGB.

    1997 – Putin é nomeado administrador-chefe adjunto do Kremlin sob a presidência de Boris Yeltsin.

    9 de agosto de 1999 – Yeltsin nomeia Putin como primeiro-ministro.

    31 de dezembro de 1999 – Yeltsin renuncia em meio a um escândalo e Putin se torna presidente interino.

    26 de março de 2000 – Eleito presidente da Rússia e assume o cargo em maio do mesmo ano.

    Primeiro dos documentários a ser exibido mostra um perfil de Vladimir Putin desde os tempos do serviço secreto na KGB
    Primeiro dos documentários a ser exibido mostra um perfil de Vladimir Putin desde os tempos do serviço secreto na KGB / CNN

    24 de maio de 2002 – Putin e o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, assinam o Tratado de Moscou sobre Reduções de Operações Ofensivas Estratégicas, que exige que cada país reduza suas ogivas nucleares estratégicas no decorrer de dez anos.

    15 de março de 2004 – É reeleito após fazer campanha como candidato independente.

    27 de abril de 2005 – Torna-se o primeiro líder russo a visitar Israel.

    4 e 5 de Outubro de 2005 – Visita o primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, e anuncia uma maior cooperação entre a Rússia e o Reino Unido no combate ao terrorismo.

    19 de dezembro de 2007 – Nomeado Pessoa do Ano pela revista Time.

    2 de março de 2008 – Dmitry Medvedev é eleito presidente da Rússia. Apenas duas horas após o seu juramento presidencial, Medvedev nomeia Putin como primeiro-ministro.

    Agosto de 2008 – A Rússia se envolve em um conflito militar com a vizinha Geórgia.

    4 de março de 2012 – Putin ganha um terceiro mandato como presidente, com pouco menos de 65% dos votos. Os críticos questionam os resultados em meio a denúncias de fraude eleitoral. Ele assume o cargo sob rigorosas medidas de segurança. Centenas de manifestantes são detidos pela polícia.

    14 de dezembro de 2012 – O presidente dos EUA, Barack Obama, assina a Lei Magnitsky, uma lei que impõe restrições financeiras e de viagem às pessoas na Rússia suspeitas de violações dos direitos humanos. A lei tem o nome de Sergey Magnitsky, um advogado que morreu em circunstâncias misteriosas em 2009, depois de ter encontrado provas de que funcionários russos cometeram fraude fiscal.

    28 de dezembro de 2012 – Em resposta à lei Magnitsky, Putin assina um projeto de lei que proíbe os cidadãos americanos de adotar crianças russas. A lei também proíbe que grupos civis financiados pelos EUA operem na Rússia.

    6 de junho de 2013 – Putin se divorcia.

    Cartaz em apoio a Vladimir Putin na Crimeia / 14/2/2024 REUTERS/Alexey Pavlishak

    Março de 2014 – Putin envia tropas para a Crimeia depois que o presidente ucraniano, Viktor Yanukovych, fugiu em meio a protestos violentos.

    6 de agosto de 2014 – Putin assina um decreto que proíbe as importações de alimentos e produtos agrícolas de países que impuseram sanções contra a Rússia.

    28 de setembro de 2015 – Putin participa da Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova York e depois se reúne com Obama. Os dois líderes falam sobre a Ucrânia e a Síria, segundo autoridades americanas.

    21 de janeiro de 2016 – Uma investigação do Reino Unido apresenta evidências que sugerem que Putin aprovou a operação para matar o ex-espía russo Alexander Litvinenko, em 2006.

    25 de julho de 2016 – O FBI anuncia uma investigação sobre uma possível invasão nos emails da Comissão Nacional Democrata. Embora a declaração não indique que a agência tenha em mente um suspeito em particular, autoridades americanas disseram à CNN que acreditam que o ataque cibernético está relacionado com a Rússia. Putin negou o caso.

    6 de janeiro de 2017 – Escritório do Diretor de Inteligência Nacional dos EUA publica um relatório que conclui que Putin ordenou uma “campanha de influência” destinada a prejudicar Hillary Clinton e ajudar Trump nas eleições presidenciais de 2016. Putin nega o caso.

    7 de julho de 2017 – Putin e Trump se reúnem pela primeira vez na cúpula do G20 em Hamburgo, Alemanha. Durante uma reunião de duas horas, os líderes discutiram alegações de interferência russa nas eleições americanas e na guerra na Síria, entre outras coisas. Horas depois, eles voltam a conversar informalmente durante um jantar com outros chefes de Estado.

    O então presidente dos EUA, Donald Trump, e Putin se reuniram no encontro do G20, em Osaka, no Japão, em junho de 2019 / Getty Images

    30 de julho de 2017 – Putin anuncia que a Rússia implementa uma série de medidas em resposta a um novo projeto de lei de sanções aprovado por Trump. E diz que 755 funcionários das missões diplomáticas americanas na Rússia serão despedidos de seus empregos.

    1 de março de 2018 – Durante o seu discurso anual perante o Parlamento, Putin se gaba das capacidades nucleares do país.

    18 de março de 2018 – Putin vence as eleições com 76,7% dos votos, segundo a Comissão Eleitoral Central da Rússia. O seu principal rival, o líder da oposição Alexei Navalny, foi proibido de concorrer. Os observadores eleitorais internacionais dizem que os votos foram contados de forma ordenada, mas criticam a cobertura mediática estatal da corrida presidencial, que promoveu Putin.

    16 de julho de 2018 – Putin e Trump se reúnem em Helsinque e realizam uma coletiva de imprensa conjunta. Trump se recusa a apoiar a avaliação do governo dos Estados Unidos de que a Rússia interferiu nas eleições.

    28 de novembro de 2018 – As autoridades do Reino Unido consideram que Putin aprovou um ataque com um veneno contra um ex-espião russo. O ataque em Salisbury, Inglaterra, deixou Sergei Skripal e sua filha, Yulia, doentes. Outra mulher que entrou em contato com o veneno morreu.

    25 de abril de 2019O líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, se reúne com Putin em Vladivostok.

    3 de julho de 2019 – Putin assina uma lei que suspende a participação da Rússia no Tratado sobre as Forças Nucleares.

    O líder da oposição russa Alexei Navalny (C), sua esposa Yulia Navalnaya (E) e seu assessor Leonid Volkov (D) participam de uma marcha em massa marcando o aniversário de um ano do assassinato da oposição líder Boris Nemtsov em 27 de fevereiro de 2016 em Moscou, Rússia / Mikhail Svetlov/Getty Images

    15 de janeiro de 2020 – Putin anuncia planos para impulsionar reformas que tornariam seu sucessor um presidente menos poderoso. A autoridade se redistribuiria dando maior influência ao parlamento russo e ao escritório do primeiro-ministro. Todos os integrantes do governo se demitem no mesmo dia.

    23 de março de 2021 – O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, diz à CNN que Putin recebeu uma vacina contra o Covid-19, embora não tenham sido disponibilizados vídeos ou imagens do processo de vacinação. O porta-voz não revelou qual vacina foi usada, mas disse que era uma das três vacinas russas aprovadas: Sputnik V, EpiVacCorona ou CoviVac.

    5 de abril de 2021 – Putin converte em lei emendas constitucionais que lhe permitiriam buscar mais dois mandatos de seis anos.

    24 de fevereiro de 2022 – As forças militares russas invadem a Ucrânia e começa uma guerra no leste europeu.

    21 de setembro de 2022 – Durante um discurso, Putin ameaça recorrer às armas nucleares contra a Ucrânia: “Em caso de ameaça à integridade territorial de nosso país e para defender a Rússia e a nosso povo, sem dúvida faremos uso de todos os sistemas de armas que dispomos”.

    30 de setembro de 2022 – Desafiando o direito internacional, Putin anuncia que a Rússia anexará quatro regiões ucranianas como território russo: Luhansk, Donetsk, Kherson e Zaporizhzhya.

    Volodymyr Zelensky e o presidente russo Vladimir Putin. / Getty Images

    17 de março de 2023 – O Tribunal Penal Internacional (TPI) emite um mandado de prisão contra Putin e a funcionária russa Maria Lvova-Belova por um suposto plano para deportar crianças ucranianas para a Rússia.

    28 de agosto de 2023Pesquisadores russos confirmaram que o chefe do grupo paramilitar Wagner, Yevgeny Prigozhin, estava entre as 10 pessoas que morreram na queda de um avião. Prigozhin e Putin se conheciam desde o início da década de 1990, quando ambos ganharam influência após o colapso da União Soviética, mas em junho Prigozhin liderou uma revolta fracassada contra o Kremlin.

    8 de dezembro de 2023 – Putin afirma que irá concorrer a um quinto mandato presidencial em março de 2024, numa medida que poderá permitir que ele se mantenha no poder até 2030.

    16 de fevereiro de 2024 – Alexey Navalny, o principal opositoro de Putin, morre na prisão, segundo a agência de comunicação estatal TASS citando o serviço penitenciário do país.

    13 de março de 2024 – Moscou está pronta para usar armas nucleares se houver uma ameaça à existência do Estado russo, mas “nunca houve tal necessidade”, diz Putin em uma entrevista à mídia estatal.

    Este conteúdo foi criado originalmente em espanhol.

    versão original