Rússia começa a fornecer mísseis para Índia, mesmo com risco de sanções dos EUA

Obtenção de mísseis teria o objetivo de conter uma ameaça da China, segundo governo indiano

Lei dos Estados Unidos inclui Rússia na lista de adversários do país
Lei dos Estados Unidos inclui Rússia na lista de adversários do país Evgenia Novozhenina/Reuters

Maria Tsvetkovada Reuters

Ouvir notícia

A Rússia começou a fornecer à Índia sistemas de mísseis de defesa aérea S-400, informaram agências de notícias russas neste domingo (14), citando Dmitry Shugayev, chefe da agência de cooperação militar russa.

Os suprimentos colocam a Índia em risco de receber sanções dos Estados Unidos sob uma lei de 2017 que visa impedir os países de comprarem equipamentos militares russos.

“A entrega dos primeiros suprimentos já foi iniciada”, disse Shugayev em uma feira aeroespacial em Dubai, de acordo com a agência Interfax. Ele disse que a primeira unidade de um sistema S-400 chegará à Índia até o final deste ano.

O acordo de US$ 5,5 bilhões para cinco sistemas de mísseis terra-ar de longo alcance, que a Índia diz precisar para conter uma ameaça da China, foi assinado em 2018.

A Índia enfrenta a possibilidade de receber uma série de sanções financeiras dos Estados Unidos sob a Lei de Combate aos Adversários da América por meio de Sanções (CAATSA), que nomeia a Rússia como adversária, ao lado da Coreia do Norte e do Irã, por suas ações contra a Ucrânia, interferência nas eleições americanas de 2016 e ajuda à Síria.

Nova Délhi disse que tem uma parceria estratégica com os Estados Unidos e a Rússia, enquanto Washington disse à Índia que o país dificilmente obterá uma isenção do CAATSA.

No ano passado, os Estados Unidos impuseram sanções citando o CAATSA sobre a Turquia, aliada da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), por adquirir mísseis S-400 da Rússia. As sanções visavam o principal órgão de desenvolvimento e aquisição de defesa da Turquia, a Presidência das Indústrias de Defesa.

Washington também removeu a Turquia de um programa de caça stealth F-35, a aeronave mais avançada do arsenal norte-americano, usada por membros da Otan e outros aliados dos EUA.

A Rússia disse que ofereceu ajuda à Turquia no desenvolvimento de caças de combate avançados, mas nenhum acordo foi alcançado até agora. “Ainda estamos em um estágio de negociações sobre este projeto”, disse Shugayev, seguno a agência RIA.

Mais Recentes da CNN