Rússia nega que irá declarar guerra contra a Ucrânia em 9 de maio

Dia da Vitória lembra o sacrifício soviético feito para derrotar a Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial, e é tido como dia simbólico na Rússia

Reuters

Ouvir notícia

O Kremlin rejeitou nesta quarta-feira (4) as especulações de que o presidente Vladimir Putin planeja declarar guerra à Ucrânia e declarar uma mobilização nacional em 9 de maio, quando a Rússia comemora a vitória da União Soviética na Segunda Guerra Mundial.

Até agora, Putin caracterizou as ações da Rússia na Ucrânia como uma “operação militar especial”, não uma guerra.

Mas políticos ocidentais e alguns observadores da Rússia especularam que ele poderia estar se preparando para um grande anúncio na próxima segunda-feira com uma série de cenários possíveis, desde uma declaração de guerra direta até uma declaração de vitória.

Questionado sobre a especulação de que Putin declarará guerra à Ucrânia em 9 de maio, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse: “Não há chance disso. É um absurdo”.

Peskov também disse que as pessoas não deveriam ouvir especulações de que poderia haver uma decisão sobre uma mobilização nacional.

O Dia da Vitória de 9 de maio é um dos eventos nacionais mais importantes da Rússia – uma lembrança do enorme sacrifício soviético feito para derrotar a Alemanha nazista no que é conhecido na Rússia como a Grande Guerra Patriótica.

Estima-se que 27 milhões de cidadãos soviéticos foram mortos na guerra de 1941-45, que deixou a União Soviética devastada e quase todas as famílias soviéticas de luto.

Putin usou discursos anteriores do Dia da Vitória para atrair o Ocidente e mostrar o poder de fogo das forças armadas pós-soviéticas da Rússia.

A invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro matou milhares de pessoas, deslocou outros milhões e aumentou o medo do confronto mais sério entre a Rússia e os Estados Unidos desde a crise dos mísseis cubanos de 1962.

Putin diz que a “operação militar especial” na Ucrânia é necessária porque os Estados Unidos estavam usando a Ucrânia para ameaçar a Rússia e Moscou teve que se defender contra a perseguição de pessoas de língua russa.

Ele classifica o conflito como um confronto inevitável com os Estados Unidos, que acusa de ameaçar a Rússia ao se intrometer em seu quintal e ampliar a aliança militar da Otan.

A Ucrânia diz que está lutando contra uma apropriação de terras ao estilo imperial e que as alegações de genocídio de Vladimir Putin são um absurdo.

Mais Recentes da CNN