Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rússia promete retaliação à Moldávia por aderir às sanções da UE

    Votação no parlamento da Moldávia tem o objetivo de mudar a legislação do país para uma possível candidatura para integrar a União Europeia

    Bandeira da Moldávia (à esquerda) hasteada do lado de fora da embaixada do país no centro de Moscou, Rússia18/12/2017
    Bandeira da Moldávia (à esquerda) hasteada do lado de fora da embaixada do país no centro de Moscou, Rússia18/12/2017 REUTERS/Maxim Shemetov

    Da Reuters*

    Moscou

    A Rússia disse nesta sexta (24) que a decisão da Moldávia em aderir às sanções da União Europeia contra o país é um passo hostil e que tem o objetivo de destruir os laços com Moscou. O governo russo prometeu retaliar.

    A declaração do Ministério das Relações Exteriores foi emitida em resposta a uma votação no Parlamento da Moldávia concordando em aderir às sanções como parte das medidas para alterar a sua legislação e tornar elegível sua candidatura de adesão à União Europeia.

    “Consideramos isto como mais um passo hostil da liderança moldava, que está totalmente integrada na campanha anti-Rússia do ‘Ocidente coletivo'”, afirmou o ministério russo em um comunicado.

    “O seu objetivo é a destruição completa das relações entre a Rússia e a Moldávia, que, por culpa das autoridades de Chisinau, já se encontram em estado muito deplorável.”

    Moscou irá retaliar, completou o ministério.

    Os 62 deputados do Partido Ação e Solidariedade, da presidente moldava, Maia Sandu, apoiaram a legislação, garantindo a sua aprovação na Assembleia na capital Chisinau.

    Entre as suas disposições estão diretrizes a respeito de ações a serem tomadas contra indivíduos e instituições sujeitos a sanções impostas à Rússia, em conexão com a invasão da Ucrânia pelo Kremlin em fevereiro de 2022.

    A legislação também tem o objetivo de proteger contra a influência indevida dos oligarcas russos.

    *Reportagem adicional de Alexander Tanas, em Chisinau