Rússia suspende missão na Otan em resposta a expulsões de funcionários

País também interrompe as atividades da missão militar da Otan em Moscou

Presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante reunião por vídeo em Moscou
Presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante reunião por vídeo em Moscou 16/09/2021 Sputnik/Alexei Druzhinin/Kremlin via REUTERS

Anna Chernovada CNN

Ouvir notícia

A Rússia suspenderá sua missão permanente na OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), que ela mantém desde 1998, em resposta à expulsão de oito russos pelo grupo de países que compõem a organização, disse o ministro das Relações Exteriores, Sergey Lavrov, na segunda-feira.

A suspensão de Moscou de sua missão pode entrar em vigor já em 1º de novembro, disse Lavrov.

A Rússia também está suspendendo as atividades da missão militar da OTAN em Moscou, disse Lavrov, com o cancelamento das credenciais do pessoal da OTAN em 1º de novembro.

O gabinete de informação da OTAN em Moscou, que foi estabelecido na embaixada belga para explicar as políticas da OTAN ao público russo, também será encerrado, disse a autoridade russa.

Lavrov disse que as suspensões do Kremlin foram em resposta às “ações da OTAN”. No início deste mês, um funcionário da Otan disse que os oito russos que eles expulsaram eram “oficiais da inteligência russa não declarados”.

A mudança ocorreu no momento que o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, se reuniu com o primeiro-ministro da Geórgia, na segunda-feira. A visita é a primeira etapa de uma viagem de três partes “para reassegurar os aliados e parceiros do compromisso dos Estados Unidos com sua soberania em face da agressão russa”, é o que afirmou um comunicado do Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

Austin também visitará a Ucrânia e a Romênia antes de uma visita à sede da OTAN, em Bruxelas.

(Texto traduzido. Leia o original aqui.)

Mais Recentes da CNN