Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rússia vai proibir estrangeiros de usar mães de aluguel do país, diz parlamentar

    Barriga de aluguel paga é legal na Rússia, mas a prática foi criticada por grupos religiosos por comercializar o nascimento de crianças

    Barriga de aluguel paga foi criticada por grupos religiosos
    Barriga de aluguel paga foi criticada por grupos religiosos Foto: Anna Civolani/Unsplash

    Lidia Kellyda Reuters em Melbourne

    A Rússia adotará em breve uma lei que proíbe estrangeiros de usar mães de aluguel russas, disse Vyacheslav Volodin, presidente da câmara baixa do Parlamento, neste domingo (27), Dia das Mães do país.

    A barriga de aluguel paga é legal na Rússia, mas a prática foi criticada por grupos religiosos por comercializar o nascimento de crianças.

    “Tudo deve ser feito para proteger as crianças, proibindo estrangeiros de usar o serviço de barriga de aluguel“, disse Volodin no aplicativo de mensagens Telegram.

    “Tomaremos essa decisão no início de dezembro”.

    Ele disse que cerca de 45.000 bebês nascidos de mães de aluguel foram levados para o exterior nos últimos anos. “O tráfico de crianças é inaceitável”, acrescentou.

    Os legisladores russos aprovaram o projeto quase por unanimidade em sua primeira leitura em maio. Se aprovado na terceira leitura final, será revisado pela câmara alta do parlamento e sancionado pelo presidente Vladimir Putin.

    O governo ucraniano diz que a Rússia deportou à força mais de 12.000 crianças ucranianas desde a invasão em fevereiro, enquanto 440 morreram na guerra e centenas estão desaparecidas.

    A Rússia nega deportações forçadas, dizendo que o movimento de pessoas da Ucrânia para a Rússia foi para proteger os civis dos soldados ucranianos.

    Putin se reuniu na sexta-feira (25) com um grupo cuidadosamente selecionado de mães de soldados russos enviados para lutar na Ucrânia, dizendo que seus filhos não morreram em vão.

    (Edição de William Mallard)