Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Saiba que autoridades estão na lista de convidados para o funeral da rainha

    Cerimônia na Abadia de Westminster é considerada uma das maiores ocasiões diplomáticas do século

    Caixão da rainha Elizabeth II é transferido para Londres
    Caixão da rainha Elizabeth II é transferido para Londres Andrew Milligan - WPA Pool/Getty Images

    Max FosterLuke McGeeToyin Owosejeda CNN

    O funeral de Estado da rainha Elizabeth II na Abadia de Westminster, em Londres, na próxima segunda-feira (19), será uma das maiores ocasiões diplomáticas do século.

    Líderes mundiais, políticos, figuras públicas e membros da realeza europeia, bem como mais de 500 dignitários de todo o mundo, irão a Londres prestar suas últimas homenagens à monarca mais antigo da Grã-Bretanha, que morreu na quinta-feira (8) aos 96 anos.

    Embora nenhuma lista oficial de convidados tenha sido publicada até o momento, os convites já foram enviados.

    O presidente dos EUA, Joe Biden, foi um dos primeiros a confirmar que estará no evento, que terá a participação de até 2.000 pessoas.

    “Ainda não sei quais são os detalhes, mas irei”, disse Biden a repórteres na sexta-feira (9).

    O brasileiro Jair Bolsonaro e o sul-coreano Yoon Suk Yeol estão entre os presidentes presentes na despedida final da rainha após uma série de eventos cerimoniais.

    A recém-eleita primeira-ministra do Reino Unido, Liz Truss, também lamentará a partida da monarca na próxima semana.

    Espera-se que os líderes da maioria dos países da Commonwealth participem, com a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, e o primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese.

    “Eu priorizaria, é claro, ao lado do governador-geral, cumprir nosso dever de representar a Nova Zelândia e transmitir as condolências de toda a nossa nação”, disse Ardern à TVNZ na sexta-feira.

    “Espero que haja vários líderes procurando prestar respeito e homenagem à rainha”, acrescentou.

    O imperador japonês Naruhito e a imperatriz Masako viajarão para Londres para o funeral da rainha, um movimento incomum que demonstra a estreita relação entre as famílias reais japonesa e britânica.

    Milhares de pessoas fazem fila em Londres para acompanhar o velório da rainha Elizabeth (14.09.2022) / Stefan Rousseau/PA Images via Getty Images

    A agência de notícias japonesa Asahi Shimbun informou, citando funcionários da Agência da Casa Imperial, que um imperador japonês só compareceu ao funeral de um chefe de estado estrangeiro ou membro da família real em uma ocasião anterior, quando o então imperador Akihito compareceu ao funeral do rei belga Baudouin em 1993.

    Membros de famílias reais estrangeiras também estarão sentados nos bancos da igreja na segunda-feira (19).

    O rei da Espanha Felipe VI e sua esposa, a rainha Letizia, estão entre os membros da realeza europeia que estarão presentes.

    O rei e a rainha da Holanda, juntamente com a ex-rainha do país, Beatrix, que abdicou em 2013, também estarão na congregação, anunciou a casa real holandesa.

    O rei da Jordânia, Abdullah II, que lembrou a rainha como uma “líder icônica” e “farol de sabedoria e liderança com princípios”, também estará presente em seu funeral.

    Nem todos os líderes mundiais foram convidados, no entanto.

    Síria, Venezuela e Afeganistão são três dos países que não foram solicitados a enviar um representante, de acordo com a agência de notícias britânica PA Media.

    Representantes da Coreia do Norte e da Nicarágua foram convidados “apenas em nível de embaixador”, acrescentou a PA.

    Os líderes da Rússia, Bielorrússia e Mianmar também estarão ausentes.

    Embora o presidente russo, Vladimir Putin, tenha tuitado seus parabéns pela ascensão do rei Carlos III ao trono, as relações diplomáticas entre o Reino Unido e a Rússia praticamente entraram em colapso desde a invasão da Ucrânia pela Rússia, disse uma fonte sênior do governo britânico à CNN na terça-feira.

    O presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, é um aliado próximo do presidente Putin.

    Mianmar não será convidado, após um golpe no país no ano passado.

    Após o funeral, o corpo da rainha Elizabeth II será enterrado na Capela de São Jorge, no Castelo de Windsor, onde seus pais, sua irmã, a princesa Margaret, e seu marido, o príncipe Philip, também estão enterrados.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original