Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Senado dos EUA aprova resolução para evitar paralisação do governo

    Os parlamentares do Congresso corriam contra o prazo, que se encerrava às 23h59 (horário de Washington) deste sábado (30)

    Prédio do Congresso dos EUA, em Washington
    Prédio do Congresso dos EUA, em Washington 31/08/2023REUTERS/Kevin Wurm

    Da CNN

    O Senado dos Estados Unidos aprovou neste sábado (30) uma resolução de despesas para evitar uma paralisação do governo norte-americano. A medida já havia sido aprovada pela Câmara dos Representantes.

    Ao todo, foram 88 senadores a favor da proposta e 9 contra. Na Câmara, o placar foi de 335 a 91. O texto segue agora para a chancela do presidente Joe Biden.

    A aprovação do projeto acontece poucas horas antes de uma possível paralisação do governo americano, o chamado shutdown. Os parlamentares do Congresso corriam contra o prazo, que se encerrava às 23h59 (horário de Washington) deste sábado.

    Isso ocorre porque o financiamento do governo expira no final do dia, e o 1º de outubro marca o início do novo ano fiscal. Caso o Congresso não aprovasse a legislação para renovar o financiamento dentro desse prazo, o governo federal “fecharia”.

    O projeto de lei de despesas aprovado com amplo apoio bipartidário possui um prazo curto (45 dias), que inclui ajuda a catástrofes naturais, mas não financiamento adicional para a Ucrânia ou para a segurança das fronteiras.

    McCarthy critica resistência republicana na Câmara

    Após a aprovação de um projeto de lei de gastos da Câmara, antes da passagem pelo Senado, o presidente da Casa, Kevin McCarthy, criticou os seus colegas republicanos que votaram repetidamente contra os seus esforços.

    “Se você tem membros em sua conferência que não permitem que você vote em projetos de lei de apropriação, não quer um ônibus e não vota em uma medida provisória – então a única resposta é fechar e não pagar nossas tropas – eu não quero fazer parte dessa equipe”, disse McCarthy em comentários após a votação.

    Biden chama aprovação de última hora de “crise fabricada”

    O presidente Joe Biden elogiou os esforços bipartidários para manter o governo funcionando e financiado até novembro, mas acrescentou que a confusão de última hora dos republicanos da Câmara foi uma “crise fabricada” que poderia ter sido evitada meses atrás.

    “Esta noite, as maiorias bipartidárias na Câmara e no Senado votaram para manter o governo aberto, evitando uma crise desnecessária que teria infligido dor desnecessária a milhões de americanos trabalhadores”, disse o presidente em comunicado no sábado à noite, marcando a aprovação do projeto de lei provisório.

    Biden passou a criticar os republicanos da Câmara por uma “crise fabricada”, dizendo que “em primeiro lugar, nunca deveríamos ter estado nesta posição. Há apenas alguns meses, o Presidente McCarthy e eu chegámos a um acordo orçamental para evitar precisamente este tipo de crise fabricada.”

    Biden reiterou o seu apoio à Ucrânia, insistindo para o Congresso aprovar um financiamento separado para assistência à Ucrânia na guerra contra a Rússia.

    “Embora o presidente da Câmara e a esmagadora maioria do Congresso tenham sido firmes no seu apoio à Ucrânia, não há nenhum novo financiamento neste acordo para continuar esse apoio. Não podemos, em circunstância alguma, permitir que o apoio americano à Ucrânia seja interrompido”, afirmou.

    Veja também: Drone filma perseguição de tubarão a arraias na Flórida

    (Publicado por Gabriel Ferneda, da CNN, em São Paulo)