Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Serviço secreto russo diz ter travado plano de assassinato de oligarca próximo de Putin

    Fonte dos serviços de informação da Federação Russa garante que o empresário Konstantin Malofeyev escapou de uma tentativa de homicídio apoiada pelos serviços secretos da Ucrânia

    Bárbara Cruzda CNN

    As agências de notícias russas informaram nesta segunda-feira (6), citando fonte dos serviços secretos nacionais (FSU), que foi desmantelado um plano para matar um oligarca russo que tem apoiado publicamente a invasão da Ucrânia.

    Segundo os serviços de informação russos, os agentes intervieram para travar um plano de homicídio, apoiado pela Ucrânia, e que envolveria um carro usado pelo oligarca Konstantin Malofeyev.

    Malofeyev é o dono da Tsargrad TV, que expressa opiniões nacionalistas, faz o elogio da visão de Vladimir Putin e apoia abertamente a invasão da Ucrânia.

    O canal de televisão russo Zvezda TV compartilhou um vídeo que mostra um homem se aproximando de um automóvel estacionado, colocando algo debaixo do veículo e fugindo.

    Ainda foram divulgadas imagens de um robô, que parece retirar algo colocado debaixo do carro. A agência Reuters assinala que não foi possível verificar a autenticidade dos vídeos.

    Em comunicado, os serviços de informação russos acusaram os homólogos ucranianos de estarem por trás da tentativa de homicídio do empresário, detalhando que o plano foi operado por um ativista de extrema-direita, Denis Kapustin, russo radicado na Ucrânia.

    A declaração acrescenta que foi aberto um inquérito a Kapustin por ofensas terroristas e tráfico de explosivos. Kapustin, que é um antigo lutador de artes marciais, declinou responder à Reuters, remetendo comentários para o Corpo de Voluntários da Rússia, do qual faz parte – que integra as Forças Armadas da Ucrânia e que terá estado envolvido no ataque da semana passada à região russa de Bryansk. Kiev também não fez qualquer comentário oficial.

    Em seu canal no Telegram, Malofeyev garantiu que está são e salvo, e que a tentativa de homicídio não vai mudar a sua “posição patriota”, assegurando que irá continuar a lutar “até ao fim” contra os inimigos.

    O FSB garantiu ainda que o plano contra Malofeyev recorreu aos mesmos métodos usados no verão passado para assassinar a russa Darya Dugina, filha de um ideólogo nacionalista, conhecido como “o cérebro de Putin”. A Ucrânia negou qualquer envolvimento na morte de Dugina, que foi vítima da explosão de um carro.

    Este conteúdo foi criado originalmente em português (pt).

    versão original