Suspeito de tiroteio em Buffalo foi enviado para avaliação de saúde mental em 2021

Segundo comissário de polícia da cidade, jovem fez "ameaça generalizada" enquanto frequentava o ensino médio

Shimon ProkupeczSamantha BeechLiam ReillyChuck Johnstonda CNN

Ouvir notícia

O suspeito pelo tiroteio em massa no supermercado em Buffalo, nos Estados Unidos, onde 10 pessoas foram mortas no sábado (15), fez uma “ameaça generalizada” enquanto frequentava a Susquehanna Valley Central High School em junho de 2021, disse no domingo o comissário de polícia de Buffalo, Joseph Gramaglia.

A polícia estadual levou o estudante, hoje com 18 anos, para uma avaliação de saúde mental e ele foi liberado um dia e meio depois, segundo Gramaglia, que acrescentou que a ameaça de 2021 não foi racialmente motivada.

A polícia do estado de Nova York investigou um relatório de que um estudante de 17 anos havia feito “uma declaração ameaçadora, disse um porta-voz à CNN no domingo, acrescentando que o estudante foi levado a um hospital em junho de 2021 para uma avaliação de saúde mental.

O porta-voz disse que a polícia estadual respondeu à Susquehanna High School em Conklin, NY, em 8 de junho de 2021, após a declaração ameaçadora.

“O estudante foi levado sob custódia sob a seção 9.41 da Lei de Saúde Mental de NYS e transportado para o hospital para uma avaliação de saúde mental”, disse a polícia estadual à CNN por e-mail.

A polícia estadual não conseguiu confirmar quanto tempo o indivíduo estava no hospital ou os resultados da avaliação. Eles também se recusaram a nomear o jovem de 17 anos.

No domingo anterior, a governadora de Nova York, Kathy Hochul, também mencionou a investigação sobre uma ameaça que o suspeito fez no ensino médio.

“Aparentemente, ele foi investigado quando era estudante do ensino médio, levado ao conhecimento das autoridades. Ele teve uma avaliação médica baseada em algo que escreveu na escola e vamos descobrir o que aconteceu depois”, disse ela.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN