Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Tartarugas com rastreadores são soltas na Tailândia em esforço de conservação

    Animais estão equipados com etiquetas de statélie para monitorar seu progresso

    Tartarugas-de-couro
    Tartarugas-de-couro REUTERS

    Napat Wesshasartarda Reuters

    Na costa da ilha turística tailandesa de Phuket, conservacionistas marinhos liberaram 11 filhotes de tartaruga-de-couro no Oceano Índico, na esperança de que possam prosperar na natureza e retornar em duas décadas para se reproduzir.

    A libertação das tartarugas de um ano de idade, cada uma do tamanho de uma bola de rugby, segue um intenso esforço de conservação para aumentar as chances de sobrevivência da tartaruga-de-couro após a descoberta, em 2018, de que a espécie ameaçada havia retornado para botar ovos no sul da Tailândia.

    As tartarugas mais fortes conseguiram entrar com sucesso no oceano, enquanto outras pereceram após o nascimento, então um programa foi lançado para cuidar dos filhotes fracos de tartaruga-de-couro, de acordo com Pinsak Suraswadi, Diretor-Geral do Departamento de Recursos Marinhos e Costeiros da Tailândia.

    A Tailândia é um dos cinco países, incluindo Sri Lanka e Canadá, que conseguiram cuidar dessa espécie de filhote de tartaruga até o primeiro ano. Uma tartaruga-de-couro típica colocará ovos após 20 a 25 anos.

    Elas foram liberados em abril por conservacionistas e estão equipados com etiquetas de satélite para monitorar seu progresso, como parte de uma iniciativa internacional da organização sem fins lucrativos de conservação Upwell Turtles.

    “É necessário que estudemos as rotas de viagem das tartarugas bebês para entender para onde elas estão indo, para que possamos implementar medidas para proteger a tartaruga-de-couro enquanto elas estão chocando de seus ninhos”, disse Pinsak.

    Apesar de ter uma história evolutiva de mais de 150 milhões de anos e sobreviver à extinção dos dinossauros, a espécie está agora criticamente ameaçada na região do Pacífico.

    Este tipo de tartaruga tem uma população estimada no Pacífico de menos de 2.300 fêmeas adultas, de acordo com o World Wildlife Fund.

    Após a sua libertação, as tartarugas ainda enfrentam perigos de equipamentos de pesca, ingestão de resíduos de plástico e exposição a toxinas.

    “Estou feliz em saber se nosso esforço em cuidar das tartarugas-de-couro por um ano será frutífero ou não”, disse o biólogo sênior de pesca, Hirun Kanghae.

    “Se elas sobreviverem, isso responde a tudo sobre a conservação e restauração da população das tartarugas-de-couro da melhor maneira possível”, acrescentou.