Turquia produzirá vacina russa Sputnik V contra a Covid-19

Anvisa decide nesta segunda-feira se estados e municípios podem importar doses da vacina, ainda sem aprovação para uso no Brasil

Frascos da vacina Sputnik V
Frascos da vacina Sputnik V Foto: Divulgação/União Química

Weslley Galzo, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Enquanto o Brasil vive impasse em relação ao imunizante, a farmacêutica turca Viscoran Ilaç produzirá a vacina russa Sputnik V contra a Covid-19 em suas fábricas. De acordo com comunicado emitido pela empresa em conjunto com o Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF) nesta segunda-feira (26), a fabricação será iniciada nos próximos meses – mas não houve a fixação de prazo.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realiza reunião extraordinária da Diretoria Colegiada, nesta segunda-feira, para apreciar pedidos de importação da vacina Sputnik V feitos por estados e municípios.  

A data do encontro foi marcada para atender ao prazo de 30 dias definidos por lei, e ratificado em decisão  Supremo Tribunal Federal (STF), para que a Anvisa avalie os pedidos de importação de vacinas contra a Covid-19 que não possuem registro.

No dia 15 de abril, a agência se manifestou contrária à importação excepcional de doses prontas da vacina Sputnik V pelo governo do estado do Maranhão ao apontar em nota técnica diversas inconsistências nos ensaios clínicos do imunizante, que não atendeu às exigências nacionais. 

A decisão da Anvisa sobre a importação de doses da vacina SputniK V será embasada em um relatório técnico, com informações coletadas por agentes do órgão enviados à Rússia para inspecionar os laboratórios das empresas Generium e UfaVita, que são os responsáveis por desenvolver e produzir a vacina no país. 

(Com informações da Reuters)

Mais Recentes da CNN