Ucrânia diz que 41 pessoas retornaram ao país em troca de prisioneiros

Vice-primeira-ministra ucraniana afirmou que havia 28 militares e 13 civis no grupo

Soldado ucraniano em frente a tanque russo destruído em Kharkiv
Soldado ucraniano em frente a tanque russo destruído em Kharkiv Reuters

Julia Kesalevada CNN

em Kiev

Ouvir notícia

A Ucrânia disse que 41 pessoas retornaram ao país na última troca de prisioneiros com a Rússia.

A vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Vereshchuk, afirmou que havia 28 militares e 13 civis no grupo, que incluía 11 mulheres.

O reitor da Igreja Ortodoxa da Ucrânia também estava entre os libertados, pontuou ela.

Um dos pontos críticos deste momento da guerra na Ucrânia é a retirada de civis da usina de Azovstal, em Mariupol, uma das cidades mais atingidas pelo combate.

Nesta sexta-feira (6), foi iniciada uma nova tentativa para liberar as pessoas que ainda estão presas no local, ainda de acordo com autoridades ucranianas.

A primeira ação neste sentido foi possível graças à intervenção da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Cruz Vermelha.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN