Ucrânia propõe trocar defensores feridos em Azovstal por prisioneiros da Rússia

Segundo a vice-primeira-ministra ucraniana, todas as mulheres, crianças e idosos já foram evacuados do local

Vista da usina de Azovstal
Vista da usina de Azovstal Alexander Ermochenko/Reuters (2.mai.2022)

Renata Souzada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A Ucrânia propôs à Rússia que os defensores gravemente feridos na siderúrgica de Azovstal, em Mariupol, sejam trocados por prisioneiros de guerra russos, disse a vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Vereshchuk, nesta quarta-feira (11).

Em uma publicação online, Vereshchuk afirmou que “ainda não há acordo. As negociações continuam”.

Depois de Mariupol ser bombardeada continuamente durante semanas, a siderúrgica de Azovstal se tornou o último reduto da cidade sob controle ucraniano.

Com a intensificação dos ataques à usina, centenas de civis acabaram presos no local, escondidos em túneis subterrâneos e com acesso restrito a suprimentos básicos.

Diante da situação, a Ucrânia realizou algumas missões conjuntas com a Organização das Nações Unidas (ONU) para evacuar grupos de civis do local.

No sábado (7), a vice-primeira-ministra ucraniana afirmou que todas as mulheres, crianças e idosos foram resgatados.

Até o momento, no entanto, não foi realizada nenhuma missão para retirada de combatentes encurralados na siderúrgica.

 

*Com informações de David Ljunggren, da Reuters

Mais Recentes da CNN