Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ucraniana de 10 anos conquista corações e dinheiro jogando dama para ajudar o exército

    Valeria Yezhova é campeã mundial no jogo de tabuleiro na categoria para sua idade

    Valeria Yezhova diz que se sente grata aos militares da Ucrânia por proteger o país.
    Valeria Yezhova diz que se sente grata aos militares da Ucrânia por proteger o país. CNN

    Alex MarquardtDaria MarkinaPaul Devittda CNN

    Valeria Yezhova está sentada em uma pequena mesa dobrável do lado de fora das portas deslizantes de um shopping center de Kiev em uma tarde quente, esperando que alguém se sente na cadeira de acampamento em frente a ela e tente dar-lhe um empurrão para ganhar dinheiro o tabuleiro de damas sobre a mesa.

    Ela não precisa esperar muito. A placa na mesa diz “Estamos ajudando o exército ucraniano” e os competidores deste bairro residencial parecem felizes em colocar alguns hryvnia — a moeda nacional ucraniana — em sua caixa de sapatos, onde a pilha de notas está crescendo rapidamente.

    O que a maioria dos que passam ou se sentam para jogar — parece não perceber é que Yezhova não perdeu um único jogo nos 10 dias em que esteve aqui.

    Se ela não estivesse arrecadando dinheiro por uma boa causa, ela poderia ser acusada de ser uma vigarista, já que a menina de 10 anos é na verdade a campeã mundial de damas na sua idade, tendo conquistado o título no verão passado.

    “Valeria me perguntou como ela poderia ajudar o exército ucraniano”, diz a mãe de Yezhova, Liubov, que está ao lado de Victor Kovalenko, o homem que treina Yezhova no jogo de damas desde que ela tinha sete anos. “Perguntei a ela o que ela faz de melhor, ela respondeu que é boa em damas. Foi assim que surgiu essa ideia.”

    “Boa em damas” significa despachar seus oponentes de rua em minutos, nunca hesitando enquanto ela impiedosamente tira peças pretas do tabuleiro enquanto suas peças brancas avançam. Os desafiantes derrotados — crianças, mulheres e homens de todas as idades — jogam o quanto quiserem na caixa e, cada vez mais, pedem a Yezhova uma foto graças à sua crescente notoriedade nacional.

    Já é uma lenda

    Depois de passar mais de uma semana fora do shopping, Yezhova arrecadou o equivalente a US$ 700 (R$ 3.758). Ela decidiu doar o dinheiro para uma fundação dirigida pelo ativista Serhiy Prytula, que vem arrecadando dinheiro para comprar ajuda humanitária e equipamentos para os militares ucranianos.

    Um vídeo mostra Prytula engasgando quando Yezhova o presenteia com as pilhas de notas.

    O momento se espalhou rapidamente na internet e logo as pessoas estavam escrevendo na página da mãe de Yezhova no Facebook, perguntando onde elas estariam para que pudessem desafiar a jovem fenômeno.

    “Valéria já é uma lenda aqui”, disse Dmitro Penzev, depois de perder o jogo. Sua esposa viu Yezhova no shopping e ligou para Penzev, que veio correndo do trabalho.

    “Você preferiria perder para ela, ela está fazendo um ótimo trabalho ajudando o exército ucraniano. Ela provavelmente tocou toda a Ucrânia.”

    A palavra já chegou à linha de frente; uma mulher que viu Yezhova mostrou a ela uma foto da unidade de seu marido agradecendo a Yezhova pelo que ela está fazendo por eles.

    “Foi uma sensação estranha”, disse Yezhova. “Acho que senti gratidão aos militares por eles nos protegerem e, apesar do fato de eu fazer muito menos do que eles, eles querem me agradecer”.

    Enquanto Yezhova tocava, um segurança da loja saiu para dizer que sirenes de ataque aéreo estavam soando em outros lugares da cidade e que estavam fechando temporariamente as portas por segurança.

    “Claro que gostaria de viver uma vida normal, mas durante a guerra é difícil”, disse ela. “Este é um sentimento desagradável, há muitas emoções negativas.”

    A família de Yezhova passou a primeira semana da guerra no porão de uma escola enquanto as forças russas ocupavam um bairro nos arredores de Kiev, onde moram seus avós. Eles fugiram para a cidade ocidental de Lviv enquanto os combates se intensificavam, mas eventualmente retornaram à capital.

    Excelente exemplo

    O sucesso e a fama crescente de Yezhova encorajaram outros em seu clube de damas a seguir seu exemplo e sair às ruas para arrecadar dinheiro para a campanha militar da Ucrânia.

    Ela é a campeã europeia e mundial para sua faixa etária, os sub-10. No mês que vem ela retornará à Turquia para o campeonato europeu de jovens, mas desta vez não espera se sair tão bem, pois enfrentará jogadores de até 13 anos.

    Neste 10º dia sentado em sua mesa dobrável, Yezhova leva um momento para contar o dinheiro depois de pouco mais de uma hora e meia de jogo. São quase US$ 150 (R$ 805), um valor recorde, que em breve irá para a Fundação Serhiy Prytula.

    Mas antes de sair para o dia, Mykola Sorokin, de 18 anos, pede um jogo. Eles jogam dois, cada um tão monótono quanto todos os outros que aconteceram naquele dia.

    “Essas crianças são um grande exemplo de como podemos ajudar uns aos outros, um bom exemplo de que a Rússia não pode nos vencer”, diz ele após sua derrota. Encontrar Yezhova foi um “sonho tornado realidade”, acrescenta, e em termos de habilidade “eu sou o chão e ela é o céu”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original