Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ucranianos são forçados a recuar em Bakhmut após novos ataques da Rússia

    Cidade de Donetsk tinha cerca de 70 mil pessoas antes da guerra e tem sido o principal alvo da Rússia em grande ofensiva de inverno

    Artilharia ucraniana dispara durante combates perto da cidade ucraniana de Bakhmut.
    Artilharia ucraniana dispara durante combates perto da cidade ucraniana de Bakhmut. Kai Pfaffenbach/Reuters (14.abr.23)

    Kai PfaffenbachManuel Ausloosda Reuters Ucrânia

    As tropas ucranianas foram forçadas a se retirar de algumas partes de Bakhmut diante de novos ataques russos à cidade arruinada, disse o Reino Unido nesta sexta-feira (14), com Moscou pressionando para obter uma vitória antes da esperada contraofensiva da Ucrânia.

    Autoridades ucranianas dizem que a Rússia está retirando tropas de outras áreas do front para uma grande investida contra Bakhmut, que Moscou tenta capturar há nove meses para revigorar a invasão que lançou há mais de um ano.

    No passado, os países ocidentais apontavam a relação complicada entre o Ministério da Defesa russo e a principal força mercenária do país, Wagner, como uma grande fraqueza russa.

    “A Rússia reenergizou seu ataque à cidade de Bakhmut, em Donetsk Oblast, enquanto as forças do Minstério da Defesa russo e do Grupo Wagner melhoraram a cooperação”, disseram os militares britânicos em nota diária.

    “As forças ucranianas enfrentam problemas significativos de reabastecimento, mas fizeram retiradas ordenadas das posições que foram forçadas a ceder.”

    Perto de Bakhmut, soldados de uma unidade de artilharia ucraniana estavam carregando projéteis em um obus da era soviética e atirando em direção à linha de frente, onde disseram que a Rússia havia concentrado seus soldados de infantaria.

    “Nosso alvo nessa direção é principalmente a infantaria. Há uma grande concentração do ‘fator humano’ da Federação Russa”, disse Dmytro, comandante da unidade de artilharia.

    Bakhmut, que tinha cerca de 70 mil pessoas antes da guerra, tem sido o principal alvo da Rússia em uma grande ofensiva de inverno que até agora rendeu poucos ganhos, apesar do combate terrestre de infantaria de uma intensidade não vista na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

    A vice-ministra da Defesa ucraniana, Hanna Maliar, disse que os comandantes russos redirecionaram tropas de outras áreas para Bakhmut.

    “O inimigo está usando suas unidades mais profissionais lá e recorrendo a uma quantidade significativa de artilharia e aviação”, escreveu ela no aplicativo de mensagens Telegram.

    “Todos os dias, o inimigo realiza em Bakhmut de 40 a 50 operações de ataque e 500 episódios de bombardeio.”

    A atualização britânica informou que os ucranianos ainda controlam os distritos ocidentais da cidade, mas foram submetidos a um intenso fogo de artilharia russa nas últimas 48 horas.

    Unidades de mercenários de Wagner agora se concentram em avançar no centro de Bakhmut, enquanto paraquedistas russos os substituem em ataques nos flancos da cidade, disse.

    Capturar a cidade seria a primeira vitória substancial da Rússia em oito meses. Moscou diz que abriria uma rota para capturar mais território na região de Donbas, no leste da Ucrânia, um importante objetivo de guerra.