Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Veja imagens dos incêndios florestais que deixaram Chile em estado de emergência

    Número de mortes subiu para 51, informou o Serviço Nacional de Prevenção e Resposta a Desastres (Senapred) chileno

    Da CNN

    O número de mortos nos incêndios florestais do Chile subiu para 64, disse o presidente Gabriel Boric neste domingo (4), acrescentando que os números crescerão “significativamente” nas próximas horas, enquanto bombeiros, soldados e brigadistas lutavam para apagar vários incêndios no centro e no sul do país.

    Veja a situação do Chile em meio aos incêndios na galeria de fotos no topo da matéria.

    O Ministério das Relações Exteriores brasileiro disse que está monitorando a situação.

    Em nota divulgada neste sábado (3), o Itamaraty disse que atua por meio do Consulado-Geral do Brasil em Santiago “a fim de prestar a assistência consular cabível aos nacionais eventualmente afetados pelos impactos dos incêndios”.

    O governo brasileiro ainda disse expressar “profundo pesar pelo expressivo número de mortos e feridos e pelas perdas materiais em decorrência dos incêndios florestais que atingem a região de Valparaíso, no Chile”. “O governo brasileiro manifesta sua solidariedade às famílias das vítimas, assim como ao povo e ao governo chilenos”, completa o comunicado.

    “Dadas as condições da tragédia, o número de vítimas certamente aumentará nas próximas horas”, disse Boric.

    Da mesma forma, a prefeita de Viña del Mar, Macarena Ripamonti, disse que também havia 372 pessoas desaparecidas, embora a informação devesse ser verificada junto aos órgãos competentes, conforme explicou em declarações à imprensa.

    Segundo a Senapred , até as 22h deste sábado, 37 incêndios florestais permanecem em combate, enquanto 46 já estão controlados.

    O órgão informou ainda que os danos atingiram muitas moradias, sendo 70% delas partes de lotes e 30% de habitações.

    Além disso, foram montados 15 abrigos e, até a noite de sábado, havia 1.600 pessoas neles.

    A ministra do Interior chilena, Carolina Tohá, relatou danos em pelo menos 1.100 casas e disse aos repórteres que os números poderiam aumentar à medida que as autoridades entrassem em áreas de difícil acesso.