Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Veja quem é a pessoa que tinha passagem para o submarino desaparecido, mas não embarcou

    Empresário português Mário Ferreira cancelou a reserva que tinha em abril; embarcação está desaparecida desde domingo (18)

    Da CNN

    O empresário português Mário Ferreira, presidente da Media Capital, dona da TVI, do mesmo grupo da CNN Portugal, tinha um bilhete reservado para o submarino desaparecido Titan, que viajou para observar os destroços do Titanic no fundo do Oceano Atlântico Norte.

    Mário Ferreira é amigo do empresário britânico Hamish Harding, que estava na embarcação que desapareceu. Segundo ele, os dois conversaram na última sexta-feira (16) em uma conferência.

    Eles se conheceram durante um voo turístico ao espaço, no foguete New Shepard, da empresa Blue Origin. Na ocasião, Harding desafiou o amigo para uma “missão ao Titanic”. Apesar do convite, Mário Ferreira cancelou sua reserva em abril.

    “Nos conhecemos no grupo de astronautas da Blue Origin, e ele me desafiou para uma missão ao Titanic. Achei que não devia ir e não fui. Ainda bem que não fui”, disse.

    No encontro deles na última sexta-feira, Hamish Harding voltou a convidar o amigo para o passeio, mas o empresário português voltou a recusar.

    “O meu amigo que está no submarino me disse que o meu lugar [ainda] estava livre e que eu podia ir com ele. Tínhamos estado juntos na sexta-feira e ele saiu no avião privado para ir embarcar. Eu não quis ir”.

    No último domingo (18), o submarino Titan, da OceanGate Expeditions, iniciou sua descida rumo aos destroços do Titanic, e perdeu contato com o Polar Prince, o navio de apoio que o transportou até o local, 1 hora e 45 minutos após a descida no Atlântico Norte, disseram autoridades.

    Estavam no submarino o empresário britânico Hamish Harding, o mergulhador Paul-Henri Nargeolet, o empresário paquistanês Shahzada Dawood e seu filho, Sulaiman Dawood, e o CEO e fundador da OceanGate, Stockton Rush.

    Os destroços do Titanic estão quase 4 mil metros abaixo da superfície, em uma área que dificulta as operações de busca das guardas costeiras dos EUA e do Canadá, que empenham esforços conjuntos para encontrar a embarcação.

    (Publicado por Gabriel Ferneda com informações da CNN Portugal)