Vídeo contradiz versão da polícia sobre morte de George Floyd

Captado pelas câmeras de segurança de um restaurante, o vídeo não mostra o jovem resistindo à prisão, como disseram policiais

da CNN

Ouvir notícia
 

Um vídeo captado por câmeras de segurança de um restaurante de Minneapolis, no estado americano de Minnesota, parece contradizer a versão da polícia de que George Floyd teria resistido à prisão.

Floyd morreu aos 46 anos nesta segunda-feira (25), após um policial ajoelhar sobre seu pescoço. Vídeos mostram o homem negro algemado no chão, dizendo que não conseguia respirar.

O sócio do Cup Foods, uma loja de conveniência, disse, em entrevista à CNN Internacional, que um de seus funcionários teria chamado a polícia após Floyd tentar pagar uma compra com uma nota falsificada de US$ 20. 

Mais cedo nesta semana, o departamento de polícia local disse em nota que estava respondendo a um suposto caso de fraude e que Floyd teria “resistido fisicamente aos agentes”

O vídeo obtido do restaurante do outro lado da rua mostra que dois guardas abordam Floyd e dois passageiros em um carro estacionado em frente ao estabelecimento. Floyd é algemado e cai. Ele é levado até a calçada, onde senta encostado à parede.

Depois, os policiais escoltam Floyd até uma viatura e o homem parece cair novamente antes de um segundo carro encobrir a visão da câmera de segurança. Em nenhum ponto da sequência Floyd aparece se opondo aos agentes agentes.

Leia também:

Estas são as imagens de George Floyd que você deveria ver

O comunicado da polícia diz que os funcionários “notaram que [Floyd] parecia estar passando mal” e chamaram uma ambulância. O homem foi declarado morto em um hospital próximo dali pouco tempo depois, disse a corporação. A causa da morte ainda não foi divulgada.

Os quatro agentes envolvidos no caso foram demitidos, mas não foi o suficiente para acalmar os protestos em Minneapolis contra violência policial. Incêndios e saques foram reportados nos últimos na região central da cidade e em St. Paul, capital do estado. 

Reprodução/CNN (28.mai.2020)
Manifestantes protestaram em Minneapolis, Minnesota, pelo segundo dia consecutivo após a morte de George Floyd, homem negro assassinado por quatro policiais brancos
Foto: Reprodução/CNN (28.mai.2020)

Repercussão

O chefe de polícia da cidade, Medaria Arradondo, pediu desculpas em uma entrevista coletiva. “Sinto muito pela dor, devastação e trauma que a morte do sr. Floyd causou a sua família, seus entes queridos, Minneapolis e ao mundo”, disse. “Sei que há um déficit de esperança na nossa cidade e que nosso departamento contribuiu para isso”. 

O presidente Donald Trump publicou uma mensagem em seu Twitter dizendo que pediu ao FBI e ao Departamento de Justiça para investigarem a morte de George Floyd. “Foi uma visão muito chocante”, disse ele sobre o vídeo. “Eu vi na noite passada e não gostei, foi uma coisa muito, muito ruim”.

Mais Recentes da CNN