Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Coleção de relógios de Michael Schumacher vai a leilão por R$ 25 milhões

    Oito relógios podem ser vendidos por mais de R$ 25 milhões no total; coleção marca a carreira do corredor heptacampeão mundial

    Michael Schumacher é sete vezes campeão mundial de F1
    Michael Schumacher é sete vezes campeão mundial de F1 Lars Baron/Bongarts/Getty Images

    Amarachi Orieda CNN

    Oito relógios luxuosos e personalizados de Michael Schumacher, lenda da Fórmula 1, vão a leilão e podem ser vendidos por mais de US$ 4,8 milhões (cerca de R$ 25 milhões) no total.

    Os relógios raros serão exibidos em Nova York de 3 a 5 de maio, fim de semana do Grande Prêmio de Miami, antes do leilão em Genebra, na Suíça, em 13 de maio, segundo a casa de leilões Christie’s.

    A família de Schumacher detém um conjunto de relógios colecionados pelo piloto campeão ao longo dos anos e, “mais recentemente, decidiram desfazer-se de relógios específicos da coleção, onde acreditavam que os colecionadores de relógios seriam capazes de apreciar o verdadeiro valor das peças” disse o chefe de relógios da Christie, Remi Guillemin, à CNN na quinta-feira (18).

    “Estamos extremamente felizes por ter estes relógios e por poder colaborar com a família”, acrescentou.

    A coleção fará parte do tradicional leilão de relógios raros da Christie’s, composto por peças vintage e modernas de relojoaria de alto calibre de marcas como Audemars Piguet, FP Journe e Rolex.

    Peças de destaque incluem o FP Journe Vagabondage 1 de platina de Schumacher, que detém quase metade do valor estimado de toda a coleção, com um preço de venda esperado de até US$ 2,2 milhões (cerca de R$ 11,5 milhões).

    Enquanto isso, um relógio Rolex Paul Newman Daytona de aço inoxidável deverá ser vendido por até US$ 440 mil (cerca de R$ 2,3 milhões) e o relógio Audemars Piguet Royal Oak de Schumacher deverá ser vendido por até US$ 280 mil (cerca de R$ 1,5 milhões).

    O relógio Rolex recebeu o nome do Daytona International Speedway, na Flórida, de acordo com Guillemin, que descreveu o relógio como “um dos relógios mais icônicos que a Rolex já fez”.

    O cronógrafo Royal Oak em ouro branco foi encomendado como um presente personalizado para o sete vezes vencedor do Campeonato Mundial de F1 de seu antigo mentor e ex-CEO da Ferrari, Jean Todt, segundo a casa de leilões.

    Apresentado a Schumacher no Natal de 2003, suas características celebram as seis vitórias no campeonato que ele conquistou até então, disse a Christie’s. O mostrador de registro de 30 minutos é cercado por seis estrelas e há representações do famoso emblema do cavalo empinado da Ferrari e do capacete vermelho de corrida de Schumacher.

    “É um relógio único”, disse Guillemin. “Quando você vê o relógio de longe, você sabe que é algo especial e que fala com Michael Schumacher.”

    O relógio Vagabondage 1 de platina também foi presente de Todt, mas para o Natal seguinte. Portanto, embora tenha características semelhantes, seu impressionante mostrador vermelho abriga símbolos que representam o sétimo campeonato que Schumacher conquistou para si e para a Ferrari.

    Um protótipo do relógio foi vendido em 2003 para beneficiar a Fundação Paris Brain Institute (ICM), da qual Schumacher e Todt são membros fundadores, segundo a casa de leilões.

    “Esses relógios são para pessoas que acompanham a Fórmula 1, que seguiram, como eu, Michael Schumacher quando ele estava correndo. É apenas uma verdadeira peça de recordação e história. E, além disso, estes dois relógios são importantes para a relojoaria”, acrescentou Guillemin.

    Schumacher sofreu uma lesão cerebral após sofrer grave traumatismo cranioencefálico durante um acidente de esqui em 2013.

    Ele não apareceu em público desde então, mas sua esposa Corinna disse em um documentário da Netflix de 2021: “Moramos juntos em casa. Fazemos terapia. Fazemos tudo o que podemos para melhorar Michael e garantir que ele esteja confortável.”

    Este conteúdo foi criado originalmente em Internacional.

    versão original