Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Fotos controversas do livro “Sex” de Madonna serão vendidas em leilão pela 1ª vez

    Livro foi lançado há 30 anos e causou polêmica, foi proibido em dois países, mas vendeu 1,5 milhão de cópias

    Madonna no livro "Sex", por Steven Meisel
    Madonna no livro "Sex", por Steven Meisel Steven Meisel

    Carlie Porterfieldda CNN

    Impressões de fotografias do popular livro “Sex”, de Madonna, de 1992, estarão disponíveis para compra pela primeira vez na Christie’s de Nova York em outubro, como parte de projetos em andamento para marcar o 30º aniversário da controversa publicação.

    Em outubro, mais de 40 impressões publicadas pela primeira vez de “Sex” serão colocadas à venda como parte de um leilão independente especial. Cada impressão será de uma edição e assinada por Madonna e o fotógrafo de moda Steven Meisel, que fotografou o livro. Os preços vão variar de US$ 50 mil (R$ 246 mil) até US$ 300 mil (R$ 1,4 milhão), de acordo com Darius Himes, vice-presidente da Christie’s e diretor internacional de fotografia.

    Parte dos lucros irá para a Raising Malawi, uma organização sem fins lucrativos fundada por Madonna em 2006 para apoiar órfãos e crianças vulneráveis no país do sudeste africano.

    “Trinta anos depois, ‘Sex’ ainda é um tanto controverso, mas ainda é lido como um livro muito positivo para o corpo e para o sexo”, disse Himes.

    “Foi chocante e excitante e capturou tanta energia branca saindo de Madonna no início dos anos 1990.”

    Madonna fotografada por Steven Meisel / Steven Meisel

    Com 1,5 milhão de cópias vendidas, “Sex” continua sendo um dos livros de mesa de centro mais vendidos.

    A publicação de “Sex”, que foi lançado em conjunto com o quinto álbum da pop star “Erotica”, causou comoção mundial no início dos anos 1990. O livro incluía fotos de Madonna e outras pessoas nuas e simulando atos sexuais.

    “Sex” também contou com o então namorado de Madonna, o rapper Vanilla Ice, e estrelas como a supermodelo Naomi Campbell e a socialite Tatiana von Fürstenberg.

    O Vaticano disse a seus seguidores para boicotar o livro, que foi proibido em países como Irlanda e Japão. Ainda assim, “Sex” foi um sucesso comercial instantâneo.

    As fotografias apresentadas no leilão de outubro foram selecionadas por Madonna, Meisel e Anthony Vaccarello, diretor criativo da Saint Laurent, que lançou uma segunda tiragem limitada de “Sex” no ano passado em Miami para coincidir com a Art Basel em Miami Beach.

    Essas 800 cópias – todas autografadas pela cantora de “Like a Virgin” – esgotaram, e uma exibição pop-up das fotos foi um atrativo popular. Himes descreveu a série de fotografias como “tanto divertida quanto erótica”, acrescentando que as imagens de Meisel se mantêm bem, mesmo três décadas depois.

    “A série captura um momento no tempo de um dos grandes fotógrafos de moda de sua geração e da rainha do pop. Embora haja diversão e exuberância, também há uma coisa clássica de estudo nu acontecendo. Acho que ressoam em várias gerações”, diz Himes.

    As gravuras serão exibidas nas galerias da Christie’s em Londres, Paris e Nova York antes do leilão de outubro.

    “Sex” foi lançado no auge da epidemia de Aids nos Estados Unidos, observa Himes, e o livro apresentava descrições francas da homossexualidade em uma época em que os relacionamentos gays eram menos aceitos no mainstream.

    Madonna no livro “Sex”, fotografada por Steven Meisel / Steven Meisel

    Em um storie de outubro no Instagram, Madonna disse que ajudou a abrir caminho para outras artistas femininas expressarem sua sexualidade, embora na época ela enfrentasse uma reação negativa por incluir imagens de “homens beijando homens, mulheres beijando mulheres e eu beijando todo mundo”.

    “Passei os anos seguintes sendo entrevistada por pessoas de mente estreita que tentavam me envergonhar por me fortalecer como mulher”, escreveu Madonna. “Fui chamada de prostituta, bruxa, herege e diabólica.”

    “Sex” não foi a única incursão controversa de Madonna na arte. No ano passado, ela se uniu ao artista digital Beeple para lançar uma linha de três NFTs (tokens não fungíveis) com base em uma digitalização 3D dela nua.

    Os NFTs mostram Madonna dando à luz criaturas como borboletas, centopeias e até uma árvore. Depois de enfrentar uma reação negativa sobre o que alguns caracterizaram como um vulgar roubo de dinheiro, Madonna se defendeu dizendo que o projeto apenas a retrata fazendo “o que as mulheres têm feito desde o início dos tempos, que é dar à luz”.

    “Estamos sempre operando e vivendo sob o olhar masculino e, infelizmente, cedendo ao que pensamos que as pessoas querem que façamos”, disse Madonna durante uma entrevista no Twitter Spaces com Beeple em maio de 2022.

    “Muitas vezes é um desafio criar obras de arte… e nem sempre é bonita.”

    Antes do leilão em outubro, as fotografias serão expostas na Christie’s London de maio a 2 de junho, depois em Paris de 27 de junho a 6 de julho antes de seguirem para Nova York em 30 de setembro, onde ficarão expostas até 6 de outubro.

    Este conteúdo foi criado originalmente em espanhol.

    versão original