Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Miss Teen norte-americana deixa o cargo poucos dias após renúncia da Miss USA

    UmaSofia Srivastava afirmou que seus valores pessoais não estão mais alinhados com os do concurso

    UmaSofia Srivastava renuncia ao posto de Miss Teen EUA e aumenta especulação em torno do concurso
    UmaSofia Srivastava renuncia ao posto de Miss Teen EUA e aumenta especulação em torno do concurso Reprodução/Instagram

    Christy Choida CNN

    A Miss Teen USA renunciou ao cargo, na quarta-feira (8), enviando mais ondas de choque pela comunidade do concurso poucos dias depois de a Miss EUA ter dito que renunciaria a sua coroa.

    Em uma postagem no Instagram, a Miss Teen USA, UmaSofia Srivastava, disse que seus “valores pessoais não estão mais alinhados totalmente com a direção da organização”.

    “Depois de meses lutando contra, tomei a decisão de renunciar ao título de Miss Teen USA 2023”, escreveu Srivastava em um comunicado em sua conta pessoal. A adolescente, que cursa o ensino médio em Nova Jersey, venceu o concurso em setembro e expressou seu orgulho por ser a primeira mexicano-indiana-americana a ocupar o papel.

    “Estou ansiosa pelo resto do ano, quando terminar a 11ª série como parte da National Honor Society e iniciar o processo de inscrição para a faculdade, sabendo que minha carreira acadêmica foi definida pelo meu trabalho árduo, e apenas pelo meu trabalho árduo”, ela adicionado.

    Ela disse que continuaria sua defesa da educação e aceitação juntamente com o trabalho com as fundações Lotus Petal e Bridge of Books.

    O concurso respondeu com uma postagem no Instagram, escrevendo que respeita a decisão de Srivastava, considera o bem-estar dos titulares “uma prioridade máxima” e que um sucessor será nomeado em breve.

    Srivastava e as organizações Miss Universo e Miss EUA não responderam imediatamente aos pedidos de comentários da CNN.

    Sua renúncia ocorre logo após outra rainha renunciar ao título no início desta semana. Na segunda-feira (6), Noelia Voigt renunciou ao título de Miss EUA para cuidar de sua saúde mental. Quando assumiu a coroa em novembro, Voigt, que é venezuelano-americana e natural de Utah, disse que trabalharia para se conectar com diversas comunidades nos Estados Unidos.

    “No fundo, sei que este é apenas o começo de um novo capítulo para mim, e minha esperança é continuar a inspirar outros a permanecerem firmes, priorizarem sua saúde mental, defenderem a si mesmos e aos outros usando sua voz, e nunca terem medo do que o futuro reserva, mesmo que pareça incerto”, postou ela no Instagram.

    “Nunca comprometa seu bem-estar físico e mental. Nossa saúde é nossa riqueza”, escreveu ela.

    Sua postagem gerou especulações de fãs de que Voigt estava enviando uma mensagem oculta sobre um acordo de sigilo, com a primeira letra das primeiras 11 frases de sua declaração soletrando “Estou silenciado”.

    Um porta-voz da Organização Miss EUA disse à CNN em comunicado, na segunda-feira, que eles apoiavam a decisão de Voigt de renunciar as suas funções e que “o bem-estar de nossos titulares é uma prioridade máxima, e entendemos que ela precisa se priorizar neste momento.”

    A organização acrescentou que está revendo os planos para a “transição de responsabilidades para um sucessor” e que anunciará em breve a nova Miss EUA.

    As renúncias, juntamente com a saída da diretora de mídia social da organização, Claudia Michelle, também na semana passada, levantaram questões entre os fãs em torno da cultura dos concursos de beleza e se alguns aspectos precisam de uma revisão.

    Michelle foi mais franca sobre supostos problemas na organização. Em uma postagem no Instagram, ela escreveu que rejeita “toxicidade no local de trabalho e bullying de qualquer tipo”.

    Miss Universo e Miss EUA não responderam imediatamente aos pedidos de comentários da CNN.

    Algumas das concorrentes do Miss EUA de Voigt compartilharam uma postagem alegando que “a maioria” da turma de 2023 apoiou sua decisão de sair e pediu à Organização Miss EUA que liberasse Voigt de sua cláusula NDA “para que ela estivesse livre para falar sobre suas experiências.”

     

    Este conteúdo foi criado originalmente em CNN Style.

    versão original