Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    123 milhas cria site para consumidores que possuem valores a receber

    A empresa afirmou que o site deve ser um espaço oficial de informação aos credores sobre as classificações e créditos a eles atribuídos

    A agência de viagens 123 Milhas anunciou que suspenderá os pacotes e a emissão de passagens de sua linha promocional já contratadas da linha "Promo" previstas de setembro a dezembro de 2023
    A agência de viagens 123 Milhas anunciou que suspenderá os pacotes e a emissão de passagens de sua linha promocional já contratadas da linha "Promo" previstas de setembro a dezembro de 2023 ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

    Felipe Souzada CNN*

    O Grupo 123 Milhas, que está em processo de recuperação judicial, criou um site para reunir dados dos consumidores lesados e que possuem valores a receber devido aos pacotes de viagem que não foram disponibilizados.

    Segundo o órgão de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo (Procon-SP), o site receberá documentos que comprovem as compras feitas pelos consumidores, como e-mail com o pagamento aprovado, fatura do cartão, entre outros.

    “Esta medida é importante para que os consumidores que já cadastraram suas reclamações no órgão não tenham que refazer todo o procedimento, além de considerar a possibilidade de que estes possam não ser informados sobre o novo site e percam prazos ou sejam excluídos do processo”, afirmou o Procon-SP

    Em nota à CNN, a empresa informou que site foi criado pela administração judicial e deve ser um espaço oficial de informação aos credores sobre as classificações e créditos a eles atribuídos pelo Grupo, mas afirma que não há um prazo para essa verificação.

    “A partir da publicação do link em Diário Oficial, o que depende de autorização judicial, os credores vão ter 15 dias corridos para checar os créditos e encaminhar eventuais informações sobre divergências e habilitações em caso de não identificação dos créditos”, contou o porta-voz do Grupo.

    A Fundação Procon-SP afirmou que vai apresentar pedido para que também estejam presentes no site todos os dados dos consumidores que registraram reclamações à época e que já foram enviados para recuperação judicial.