O Grande Debate: Gabriela Prioli e Caio Coppolla falam da relação entre Poderes


Da CNN Brasil, em São Paulo
16 de março de 2020 às 12:11 | Atualizado 16 de março de 2020 às 15:16
 

O Grande Debate entre Gabriela Prioli e Caio Coppolla desta segunda-feira (16) teve como tema a relação entre os poderes Executivo e Legislatvo. Assista:

Questionados sobre a possibilidade de ter uma paz selada entre o Executivo e Legislativo, os comentaristas fizeram suas avaliações.

Em suas considerações finais, Coppolla avaliou as manifestações populares e as reações dos líderes dos Poderes. “Queria fazer uma comparação sobre a percepção de realidade, do que é a população brasileira. O Rodrigo Maia já disse: ‘quer conhecer o Brasil, visite o parlamento’. E isso não procede. O pior do parlamento está representado no Brasil. São dezenas de deputados e senadores respondendo a ações penais. Eles pertencem a uma elite que já se distanciou muito da realidade do povo. Em contraposição, você tem um presidente da República que prestigia a manifestação popular e convida os presidentes do poder legislativo a ir às ruas, ao invés de ficarem fazendo centenas de viagens em jatinhos particulares e se alienando da responsabilidade direta de representarem o povo que os colocou lá, ainda que de forma fragmentada. Eu acho que é esse o recado: ver como cada liderança percebe o povo nas ruas. Eu já vi muito político com medo de povo nas ruas, mas imprensa é a primeira vez”.

Prioli encerrou o debate questionando a postura do presidente, Jair Bolsonaro no domingo de manifestações. “Eu gostaria de propor um raciocínio sobre o que a gente está pedindo do povo brasileiro. A gente já pediu para o povo brasileiro que faça concessões em relação à sua aposentadoria, aos seus direitos trabalhistas. A gente diz para o povo brasileiro que a gente não tem dinheiro para dar uma condição de vida digna a idosos e deficientes miseráveis. Agora, com esta crise do coronavírus, a gente vai pedir para o trabalhador informal para ele ficar em casa sem receber, vai pedir para o comerciante aguentar as pontas sem vender, para os profissionais de saúde que enfrentem os desafios que estão por, vir sem esmorecer. Em troca de isso tudo que a gente está pedindo do povo brasileiro, a gente tem um presidente da República que não consegue se comportar como um verdadeiro líder de estado. Então, o que a gente está pedindo é que o presidente governe com responsabilidade e não descumpra as orientações técnicas do seu ministro. O povo pode ir para as ruas desde que isso não signifique um risco para saúde e a economia da nação. A gente precisa ter responsabilidade com o outro e parar de ser egoísta.”

0