Rui Costa: hoje 'caiu a ficha' de Bolsonaro sobre o novo coronavírus


Da CNN, em São Paulo
23 de março de 2020 às 20:39 | Atualizado 23 de março de 2020 às 21:20
 
O governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse em entrevista exclusiva à CNN nesta segunda-feira (23) que "caiu a ficha" do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus (COVID-19). A declaração foi dada depois de uma reunião entre Bolsonaro, seus ministros e governadores dos estados do Nordeste.

“Hoje caiu a ficha, é nítida a mudança de postura do presidente”, afirmou Costa.

O governador baiano ressaltou a necessidade de uma coordenação nacional entre os governos federal e estaduais, e disse que este é o momento de “colocar diferenças políticas de lado e colocar vidas humanas em primeiro lugar”.

No entanto, Costa também disse que quase todas as respostas dadas pelo governo em relação a dúvidas dos governadores foram satisfatórias, mas afirmou que não ficou claro como o governo irá destinar os R$ 8 bilhões prometidos para a saúde.

“Não ficou clara para mim a fala do ministro Mandetta sobre como serão divididos os R$ 8 bilhões para os entes da federação. Na próxima quarta-feira (25) haverá uma reunião focada na área da saúde que deixará esta questão mais clara”, disse o governador.

O governador também criticou o fato de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não realizar testes em passageiros que chegam aos aeroportos do país. 

“Não entendo o comportamento da Anvisa, que deveria estar fazendo triagem nos aeroportos, deveriam ao menos tirar a temperatura dos passageiros. Coloquei esta questão na reunião e Mandetta disse que não é uma solução”.

Suspensão de dívidas

Costa elogiou a medida de estender a todos os estados a revogação em seis meses de todas as dívidas estaduais com bancos públicos e da União, e citou também novo pedido, específico dos estados do Nordeste. 

“Os estados do Nordeste agora estão pleiteando que esta medida se estenda para dívidas internacionais de bancos de fomento, porque são estados que têm muitas dívidas deste tipo, como com o Banco Mundial. Isso nos ajudaria a pensar em investimentos na infraestrutura necessária para enfrentar a pandemia”, disse.

Bolsa Família e crédito

Outra pedido dos governadores do Nordeste, que foi acatado pelo Supremo Tribunal Federal, diz respeito ao Bolsa Família e do fim de cortes e da fila para novos beneficiários. Segundo Costa, havia distorções técnicas para escolher quem receberia os recursos.

“Entramos com ação para acabar com cortes no Bolsa Família. Estavam acontecendo cortes incorretos, sem nenhuma explicação, com a inclusão de pessoas de áreas que não têm justificativa técnica para receber o benefício”, disse o governador.

De acordo com Costa, haverá uma reunião ainda nesta semana com todos os secretários de Fazenda para tratar de novos recursos que irão ajudar na securitização e na liberação de linhas de crédito para os estados. 

UTIs na Fonte Nova

Como forma de combater o novo coronavírus, a Bahia avalia o uso do estádio da Fonte Nova, em Salvador, para aumentar a capacidade de seu sistema de saúde. Diferente do que vai ocorrer em São Paulo, em que um hospital de campanha está sendo montado no campo do estádio do Pacaembu, o governo baiano pensa em utilizar os camarotes da Fonte Nova.

“Estamos pensando em colocar leitos de UTI na Fonte Nova, aproveitando áreas de camarote, porque tem refrigeração e infraestrutura. Sairá mais barato e será rápido. Já no interior, temos 16 Unidades de Pronto Atendimento (UPA) prontas, mas que não estavam funcionando por falta de recursos. Em 15 dias, entrarão em funcionamento e funcionarão como nosso cinturão de triagem”.