São Paulo faz parceria com operadoras de telefonia para monitorar quarentena

Estado – epicentro do novo coronavírus no Brasil – usará os dados dos clientes de Vivo, Oi, Tim e Claro para identificar locais com concentração de pessoas

Da CNN, em São Paulo
09 de abril de 2020 às 12:57 | Atualizado 09 de abril de 2020 às 13:18

O governo de São Paulo firmou parceria com as principais operadoras de telefonia do país – Claro, Vivo, Oi e Tim – para usar a infraestrutura dessas empresas para o monitoramento da quarentena do coronavírus no estado.

O anúncio foi feito pelo governador João Doria (PSDB) nesta quinta-feira (9) em coletiva no Palácio dos Bandeirantes. “Quero agradecer aos presidentes das quatro operadores pelo apoio e pela disponibilidade de realizar esse trabalho sem nenhum custo e sem nenhum ônus para o governo do estado de São Paulo”, disse Doria, que qualificou a decisão das empresas como um “gesto de profunda solidariedade”.

O governador informou que com as informações geradas a partir dos aparelhos celulares dos clientes das operadoras, que representam quase 100% dos usuários de telefonia móvel no estado, será possível identificar locais com concentração de pessoas, analisar o porcentual efetivo de isolamento no estado e organizar ações de orientação e advertência, se necessário, onde o mapeamento apresentar aglomerações.

“Ontem, dia 8, nós tivemos 49% de isolamento, muito abaixo do necessário, que é 70% – nossa meta em São Paulo é atingir 70% de isolamento”, disse o governador. Doria disse que no domingo (5) o estado registrou a maior a taxa de isolamento até o momento: 59%.

“Temos que ter como objetivo alcançar os 70% de isolamento, que é a orientação da medicina, da ciência e dos profissionais que assessoram o governo de estado de são Paulo para limitar os efeitos da pandemia, para termos menos pessoas infectadas e menos pessoas sob risco de morte”, completou o governador.

Doria afirmou também que serão disparadas mensagens de SMS para os celulares dos moradores do estado com alertas e orientações para que retornem para suas casas e aumentem seus cuidados.

Governo de São Paulo criou sistema de monitoramento da quarentena em parceria com operadoras de telefonia
Foto: Reprodução/ YouTube

Batizado de Sistema de Monitoramento Inteligente, esse conjunto de painéis de monitoramento a partir dos dados de telefonia estará disponível também para os prefeitos de todos os municípios do estado com mais de 30 mil habitantes.

“Nós tivemos autorização para divulgar esses dados para os municípios. Os habitantes e os prefeitos terão acesso ao mesmo painel que nós”, disse a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen da Silva.

“Um ponto importante é que essa informação é trazida de uma forma completamente anônima. O governo não tem acesso aos dados individualizados, só aos dados agrupados, o que é suficiente para conseguimos entender o comportamento em cada região, em cada cidade, em cada bairro.”

Máscaras para comunidades

O governo anunciou também a produção de 2 milhões de máscaras de proteção em comunidades carentes da cidade de São Paulo, em uma ação conjunta com a prefeitura da capital.

“A produção foi iniciada nesta segunda-feira (6) na ETEC de Heliópolis com 14 costureiras e será ampliada na próxima segunda-feira (13) em mais 19 unidades das ETECs”, disse o governador.

Essas máscaras serão distribuídas, principalmente, em comunidades como Heliópolis e Paraisópolis. Doria afirmou que esse programa tem custo de R$ 2,5 milhões, cujos recursos foram integralmente doados pelos bancos Itaú, Bradesco e Santander.