Governo Witzel pede ao Ministério da Saúde seis leitos de UTI para presídios

Secretaria ainda não registra casos de COVID-19 nos sistema penitenciário do estado

Leandro Resende Da CNN, no Rio de Janeiro
15 de abril de 2020 às 19:13

Entrada do Complexo Penitenciário de Gericinó, também conhecido como complexo de Bangu, na Zona Oeste do Rio
Foto: Tânia Rêgo - 19.jan.17/Ag. Brasil


A secretaria da Saúde do governo de Wilson Witzel (PSC)pediu ao Ministério da Saúde seis kits de UTI para o Pronto Socorro que fica dentro do complexo penitenciário de Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro.

No documento obtido pela CNN, o secretário de Saúde Edmar Santos afirma que há cerca 60 mil presos no local, onde funcionam 24 unidades prisionais, entre presídios e hospitais penais. 

Até a tarde desta quarta-feira, a Secretaria de Administração Penitenciária não havia confirmado nenhum caso do novo coronavírus no sistema prisional do estado.

O estado contabiliza 3.743 casos confirmados de infecção pela COVID-19 e 256 mortes causadas pelo vírus. Há ainda 114 óbitos em investigação.

O pedido da Secretaria de Saúde foi feito ontem e leva em consideração o "elevado número de pessoas privadas de liberdade nos presídios do Rio de Janeiro". O ministério confirmou ter recebido a solicitação, mas ainda não a respondeu.

Na semana passada, o estado do RJ também pediu ao ministério a quantidade prevista de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e de kits de leitos de terapia intensiva para os hospitais federais do Rio de Janeiro — também não houve resposta.

Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, anunciou um edital que será aberto para que empresas forneçam EPIs para o governo federal.