OAB sugere medidas para combater violência doméstica durante isolamento social

Órgão recomenda prorrogação de medidas protetivas e criação de campanhas para divulgar canais de denúncia

Da CNN
15 de abril de 2020 às 17:07
Violência contra a mulher
Foto: Nino Carè/Pixabay

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) encaminhou nesta quarta-feira (15) ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça) e ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos algumas sugestões para combater o aumento da violência doméstica durante o isolamento social.

Entre elas, estão a prorrogação automática de medidas protetivas e a criação de campanhas para divulgar os canais de apoio. O órgão também recomenda que as Polícias Civis implantem delegacias digitais, para facilitar o recebimento de denúncias.

Nos ofícios, a ordem alerta que, durante este período, muitas mulheres estão confinadas junto de seus agressores. Além disso, o isolamento torna ainda mais difícil que amigos e familiares notem machucados, alterações comportamentais e até o sumiço dessas vítimas.

Leia também:

Em cinco anos, verba para combate à violência contra a mulher cai 55%

A afirmação do órgão é sustentada por dados em vários estados brasileiros. No Rio de Janeiro, o número de atendimentos no Centro Especializado de Atendimento à Mulher dobrou em relação ao mesmo período no ano anterior. Em Curitiba, o número de ocorrências no primeiro fim de semana de isolamento cresceu quase 15% em relação ao fim de semana anterior, de acordo com a Polícia Militar.

O telefone para denúncias de casos de agressão contra as mulheres é o 180. O serviço é gratuito, nacional e funciona 24 horas por dia.