MG reavalia e prevê para 3 de junho o pico de contaminação

Com as medidas de isolamento, o estado conseguiu adiar o ápice da curva de contaminação, que estava previsto para 27 de maio

Caroline Louise Da CNN em Belo Horizonte
23 de abril de 2020 às 10:16

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) anunciou, nessa quarta-feira (22), a revisão da data para o pico de contaminações pelo novo coronavírus em Minas Gerais, agora, previsto para 3 de junho. Estudos realizados anteriormente indicavam o ápice dos contágios para o dia 27 de maio.

De acordo com o secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, a prorrogação da data representa um achatamento da curva de casos confirmados do vírus no estado. O governo ainda divulgou que apenas 3% dos leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) estão ocupados com pacientes com a doença. 

Flexibilização e calamidade

Em entrevista à CNN na noite de terça-feira (21), o governador Romeu Zema (Novo) afirmou que também vai iniciar processo de reabertura e retomada econômica de forma "gradual, segura e criteriosa" nas próximas semanas, dependendo do número de casos em cada município. 

Por outro lado, a prefeitura da capital mineira decretou também nessa terça-feira (21), estado de calamidade até o dia 31 de dezembro. Agora, o texto será submetido à aprovação da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Caso seja aprovado pelos deputados, o estado de calamidade pública permitirá que o município tenha maior autonomia financeira e administrativa com a suspensão, por exemplo, dos prazos e limites referentes a despesas e dívida pública da Lei de Responsabilidade Fiscal. O assunto será votado semana que vem pela Casa.