Pará decreta lockdown em dez cidades entre os dias 7 e 17 de maio


Estadão Conteúdo
05 de maio de 2020 às 19:57
O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB)

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB)

Foto: Marco Santos - 28.abr.2020/Agência Pará

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), afirmou nesta terça-feira (5), em pronunciamento, que vai decretar lockdown no estado, o que significa a suspensão total de atividades não essenciais em dez dos municípios paraenses mais afetados pela COVID-19. O decreto passa a valer a partir de quinta-feira (7), e vai até o dia 17, sendo que nos primeiros três dias haverá "medidas educativas" e a partir do domingo (10), as autoridades poderão aplicar multas a quem desrespeitar o bloqueio.

De acordo com Barbalho, 375 pessoas já morreram no Pará em decorrência da doença causada pelo novo coronavírus, e 4.756 foram contaminadas. O governador vê a medida de restringir a circulação como "difícil, mas necessária" para conter o crescimento acelerado das contaminações, que já lotam o hospitais pelo estado e já trazem problemas às unidades do Instituto Médico Legal (IML), afirmou o governador. As medidas valerão para as cidades de Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa Bárbara, Santa Izabel do Pará, Castanhal, Santo Antônio do Tauá, Vigia de Nazaré e Breves.

"Chegou o momento drástico de nós agirmos para salvar a vida da nossa gente", explicou o governador. No decreto, as multas para pessoas que desrespeitarem o lockdown são de R$ 150. Para estabelecimentos comerciais, de R$ 150 mil. Os cidadãos estarão proibidos sair de casa se não estiverem usando máscaras de proteção, e as saídas só serão permitidas para atividades essenciais, como compra de comidas, remédios e para trabalhar, no caso de quem exerce ofícios essenciais.

Barbalho disse que o critério para escolher as cidades que sofrerão o lockdown foi selecionar aquelas com no mínimo 75 casos de COVID-19 a cada 100 mil habitantes. A média no estado é atualmente de 51 casos para cada 100 mil habitantes. Ainda de acordo com o governador, a taxa de isolamento no Pará tem variado entre 45% e 50%, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que 70% é a necessária para achatar a curva de contaminação.