MP denuncia dois por ameaças em frente a residência de Alexandre de Moraes

Segundo órgão, dupla agiu em razão de decisão que impediu posse de indicado por Bolsonaro para chefiar PF

Gabriela Coelho Da CNN, em Brasília
11 de maio de 2020 às 17:08
O ministro Alexandre de Moraes, do STF
Foto: Rosinei Coutinho - 20.fev.2020/STF
 
O Ministério Público de São Paulo denunciou dois homens que participaram de um protesto no dia 2 de maio em frente ao edifício onde mora o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. Segundo o MP, eles foram denunciados por ameaça , difamação e injúria, além de perturbação do sossego.

Segundo o MP-SP, ficou demonstrado que as ofensas foram proferidas em razão do cargo do ministro e, principalmente, pela decisão que impediu o delegado Alexandre Ramagem, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), de assumir a direção-geral da Polícia Federal. 

“Além de realizarem gritaria e algazarra em via pública por mais de duas horas, utilizando-se, inclusive de equipamento de alto-falante, os denunciados e os coautores não identificados perturbaram o sossego alheio, sendo as ofensas apenas cessadas com auxílio da polícia militar, que conseguiu deter os denunciados e conduzi-los à delegacia de polícia”, disse o MP. 

O MP afirmou ainda que as manifestações não foram comunicadas previamente aos órgãos públicos e ocorreram em meio à pandemia d Covid-19, desobedecendo normas do Ministério da Saúde e demais regulamentos que determinam o isolamento
social.

“Além de a ação estar registrada em vídeo, gerou aglomeração que desobedece normas do ministério da Saúde pelo isolamento social contra a pandemia do coronavírus”, afirmou o MP.