SP vai contratar 4,5 mil leitos em hospitais privados

Governo investirá R$ 594 milhões para disponibilizar vagas para pacientes infectados com o novo coronavírus

Da CNN, em São Paulo
20 de maio de 2020 às 12:49 | Atualizado 20 de maio de 2020 às 13:29

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta quarta-feira (20) que o estado contratará 4,5 mil leitos em hospitais privados para atender, exclusivamente, pacientes infectados pelo novo coronavírus.

Destes leitos, 1,5 mil serão em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) e os demais serão leitos clínicos em geral.

“Com essa medida, São Paulo praticamente dobra o número de leitos disponíveis para o atendimento a pacientes com coronavírus”, disse Doria em coletiva no Palácio dos Bandeirantes. 

O governador informou que a medida custará R$ 594 milhões aos cofres públicos, dos quais R$ 432 milhões custearão os leitos de UTI e R$ 162 milhões os leitos clínicos. O chamento público foi publicado nesta quarta no Diário Oficial e a expectativa é que os todos os leitos estejam operacionalizados em até 20 dias.

Assista e leia também:

SP não recebeu um único respirador do governo federal, diz Doria

SP conversa com comércio para reabrir economia em fases a partir de 1º de junho

"O estado de São Paulo tinha 3,5 mil leitos de UTI no SUS antes do coronavírus. Depois do surgimento desta pandemia, já temos 1.624 novos leitos habilitados," detalhou o governador.

Hospital em Heliópolis

Doria também anunciou a inauguração nesta quarta-feira do quarto hospital de campanha na capital paulista. Localizado em Heliópolis, maior favela da cidade, o complexo terá 200 leitos, dos quais 24 serão UTIs.

"Somados, os hospitais de campanha de Heliópolis, Ibirapuera, Anhembi e Pacaembu tem 2.440 leitos para o tratamento de pacientes infectados com o novo coronavírus", disse o governador, que chamou a iniciativa de "o maior esforço clínico do país" contra a Covid-19.