Deputados denunciam ausência de pacientes no Anhembi; prefeitura relata invasão


Julyanne Jucá, da CNN, em São Paulo
04 de junho de 2020 às 22:23 | Atualizado 05 de junho de 2020 às 15:52
Deputados divulgaram imagens de dentro do Hospital de Campanha do Anhembi

Deputados divulgaram imagens de dentro do Hospital de Campanha do Anhembi

Foto: Reprodução

Um grupo formado por pelo menos quatro deputados estaduais gravou diversos vídeos dentro do Hospital de Campanha do Anhembi, em São Paulo, na tarde desta quinta-feira (04), denunciando a suposta ausência de pacientes no local.

Participaram do ato Adriana Borgo (Pros), Marcio Nakashima (PDT), Coronel Telhada (Progressistas), Letícia Aguiar (PSL) e Sargente Neri (Avante).

Nas imagens gravadas, Nakashima afirmou que os seguranças foram "truculentos" em um primeiro momento e não os deixaram entrar nas dependências do hospital. Depois, ao lado de outros deputados que não aparecem nas imagens (mas são citados), entraram no hospital vestidos com os equipamentos de proteção individual (EPIs). Em algumas cenas, eles mostraram partes do hospital onde não há colchões nem macas, tampouco pacientes.

Em determinado momento, Adriana Borgo gritou: "Tem alguém aqui?". E complementou: "Maior confusão para a gente entrar aqui. Deputado empurrado. Deputado foi jogado para fora."

Leia também:

Brasil passa a Itália e se torna o 3º país com mais mortes pela Covid-19

Vacina contra Covid-19 pode exigir duas doses, diz diretor de agência dos EUA

Nakashima afirmou que "são fundos que nós, deputados, liberamos, porque acreditamos que a pandemia era algo que fosse colapsar tudo, matar pessoas. Pessoas iam morrer. Mas estamos vendo que o que está matando aqui é a corrupção." Ele afirma que há mais de 1.600 leitos e só teriam 20 pacientes internados. Ao fundo, é possível ouvir uma mulher falando que o local onde os parlamentares e outras pessoas estão é uma ala direcionada aos equipamentos.

Borgo questionou a quantidade de pacientes e o dinheiro gasto para a construção do hospital. "Quantos milhões estão sendo gastos aqui do seu dinheiro, gente?", fala. Ela disse que iria tirar a máscara porque "não há ninguém doente aqui. Tudo mentira.”

Em outro vídeo, no entanto, a parlamentar mostra pacientes em macas. "Estou cuidando do seu dinheiro", afirma a parlamentar.

O deputado Marcio Nakashima foi ouvido discutindo com alguns homens, que não foram identificados, alegando que é morador da cidade de Guarulhos, onde não haveria leitos para o tratamento de pacientes e parlamentares tiveram que entrar na Justiça para conseguir.

Outro deputado, Neri chegou a aparecer ao lado de Adriana Borgo dizendo que "as imagens mostram, como o próprio Telhada falou, que daria para colocar pacientes de toda região aqui. E outra coisa, não adianta o prefeito achar ruim, não. Nós vamos entrar, fiscalizar, mostrar pro povo. Esse é o nosso papel."

Pelo menos sete vídeos foram gravados e divulgados nas redes sociais de Adriana Borgo sem qualquer filtro.

Questionada, a prefeitura de São Paulo informou que os deputados invadiram locais que ainda não foram ativados e, como as imagens divulgadas mostram, gravaram pacientes sem autorização prévia.

Além disso, ainda de acordo com a prefeitura, os parlamentares agrediram verbal e moralmente diversos funcionários e pacientes, “colocando em risco a própria saúde porque inicialmente não estavam usando EPI e a própria vida dos cidadãos que estão internados e em tratamento na unidade.”

O Hospital de Campanha do Anhembi foi preparado para atender 1.800 pacientes. Atualmente, há 397 pacientes internações em enfermarias e 10 em leitos de estabilização.

Nota da prefeitura

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, informa que cinco deputados [só quatro apareceram nas imagens] e assessores invadiram nesta tarde, quinta-feira (04/06), o HMCamp do Anhembi de maneira desrespeitosa, agredindo pacientes e funcionários verbal e moralmente, colocando em risco a própria saúde porque inicialmente não estavam usando EPI e a própria vida dos cidadãos que estão internados e em tratamento na unidade.

Além da invasão e das atitudes violentas, os parlamentares filmaram as alas do HMCamp do Anhembi que ainda não foram ativadas, mas que estão prontas para serem colocadas em funcionamento caso seja necessário. E também gravaram pacientes sem autorização prévia, muitos dos quais estavam sendo higienizados em seus leitos.

O HMCamp do Anhembi foi preparado para atender 1.800 mil pacientes, atualmente está com 397 pacientes na enfermaria, 10 em estabilização e, desde que entrou em funcionamento, já atendeu 3.700 mil paulistanos, dos quais 2.800 foram curados e tiveram alta.

A Prefeitura de São Paulo mantém transparência pública, tanto o é que vários veículos de imprensa nacional e de outros países já visitaram as instalações, respeitaram as regras sanitárias para garantir a própria saúde, dos pacientes e dos profissionais, bem como parlamentares que respeitaram as regras vigentes também já foram atendidos.

 A Prefeitura de São Paulo reitera total repúdio a atitudes violentas e ações deliberadas para tentar enganar a opinião pública.