Com redução de casos, hospital de campanha de Manaus encerra as atividades

Local voltará a ser um complexo estudantil

Julyanne Jucá, da CNN
24 de junho de 2020 às 15:00
Sala com macas vazias após encerramento das atividades do hospital de campanha em Manaus
Foto: Marcio James/Semcom (23.jun.2020)

O hospital municipal de campanha de Manaus, montado nas dependências de um Centro Integrado Municipal de Educação (CIME), encerrou suas atividades nesta quarta-feira (24) após 71 dias de funcionamento e voltará a ser um complexo estudantil. 

Marcelo Magaldi, secretário de Saúde da cidade, disse que o hospital de campanha "cumpriu sua missão no momento mais difícil da pandemia". O hospital registrou 146 mortes e 611 altas — uma taxa de 81% de êxito. O complexo chegou a receber pacientes de outras cidades do interior como Itacoatiara, Manacapuru, Parintins, Nova Olinda do Norte e Iranduba.

Será montado um memorial em homenagem aos profissionais que atuaram no espaço, de médicos e enfermeiros a agentes de limpeza e segurança. 

Leia também:

Com diminuição de mortes diárias, Manaus volta a sepultar em covas individuais

Manaus registra pontos de aglomeração nas ruas após reabertura do comércio

A prefeitura informou que os equipamentos usados no local serão distribuídos após a conclusão do inventário e os profissionais de saúde serão remanejados para outras unidades de saúde municipais.

Entre abril e maio, a cidade havia enfrentado seu pior momento, tendo que acondicionar cadáveres em contêineres frigoríficos devido a alta demanda de enterros.

Após dois meses, no entanto, os índices baixaram e a cidade teve diminuição nos números diários de mortes e novos casos. "É um sentimento de saudade e de dever cumprido,” disse o prefeito Arthur Virgílio (PSDB).

Segundo última atualização nesta terça (23), o município registra 25.710 casos confirmados e 1.727 mortes pela doença causada pelo novo coronavírus.