PF encontra lista com nomes e percentuais no gabinete do governador do Amazonas


Daniela Lima
Por Daniela Lima, CNN  
03 de julho de 2020 às 19:07 | Atualizado 03 de julho de 2020 às 21:48

A operação de busca e apreensão realizada pela Polícia Federal dentro da investigação sobre supostas fraudes na compra de respiradores no estado do Amazonas descobriu no gabinete do governador do estado, Wilson Lima (PSC), uma lista com nomes ao lado de percentuais. Além disso, policiais encontraram no gabinete do governador uma tabela escrita denominada “execução de emendas parlamentares” e ao lado dela um manuscrito escrito "Covid". 

Também foi encontrada uma folha de papel com os nomes Joana, Roberto, Bessa, Naiara, Teresinha, Saulo e Abdala, com "5%" escrito ao lado. O apelido "Belão" também é citado. Uma das linhas dos investigadores é descobrir se esses nomes se referem a deputados estaduais do Amazonas cujo primeiros nomes coincidem com os do manuscrito. Belarmino Lins é deputado estadual no Amazonas e tem Belão como apelido.

Leia também:

Secretária de Saúde do Amazonas é presa em operação da PF

No gabinete do governador também foi achado um contrato de aquisição de equipamentos para o combate à Covid-19 com a empresa que intermediou a compra de respiradores -- que também está sendo investigada por fraude.

A nova ação pode complicar ainda mais a situação do governador, que teve pedido de prisão negado pelo Superior Tribunal de Justiça, embora o relator do caso, o ministro Francisco Falcão, tenha reconhecido na decisão “fundadas razões para supor o efetivo envolvimento do governador na fraude”. A Assembleia Legislativa do estado voltou a discutir o impeachment de Wilson Lima.

Em nota, o governador Wilson Lima "afirma que as referidas anotações não contém absolutamente nada que indique quaisquer ilícitos".

"São anotações avulsas e sem conexão que nem de longe indicam atos não republicanos. Desta forma, o governador repudia qualquer tentativa de relacioná-las a condutas ilegais e envolver nomes de parlamentares. Ao contrário do que possam sugerir matérias jornalísticas, não há sequer a menção de valores, pagamentos ou quaisquer benefícios de naturezas diversas", diz a manifestação.

O deputado Belão não se manifestou até a publicação deste texto.