Sindicato do RJ pede aulas presenciais e diz que 'trancar em casa não é ciência'

Governo do estado suspendeu atividades escolares até o dia 5 de agosto

Da CNN
28 de julho de 2020 às 13:30

Um vídeo do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Rio de Janeiro (Sinepe), que representa as escolas privadas no estado, defendeu o retorno das aulas presenciais em meio às restrições por conta da pandemia da Covid-19, que já matou mais de 87 mil pessoas no país.

Na campanha que circula pelo WhatsApp e nas redes sociais, a instituição afirma que "estudos só confundiram" e que "trancar todos em casa não é ciência" — uma pesquisa divulgada pela revista Science apontou que o isolamento social feito desde o começo da pandemia do novo coronavírus no Brasil reduziu pela metade a taxa de transmissão da Covid-19 no país. 

Leia também:

Isolamento social reduziu em 50% contágio da Covid-19 no Brasil, revela estudo
Volta às aulas em escolas particulares do Rio não contemplará todas as séries
Seis estados e DF têm datas definidas para retorno às aulas presenciais

A Prefeitura do Rio decidiu que a volta facultativa para colégios particulares pode ser feita a partir do dia 3 de agosto, mas o governo estadual determinou, em decreto no Diário Oficial, a suspensão das atividades escolares até o dia 5 de agosto.

"As escolas particulares reabrem se quiserem, porque não cabe à Prefeitura essa regulação. A posição da Prefeitura do Rio apenas é autorizativa quanto aos protocolos e ao cumprimento deles por parte Vigilância Sanitária", disse o município, em nota.

As secretarias de Educação dos estados têm elaborado protocolos para que o retorno seja feito de uma forma segura, com base na curva de casos confirmados e de óbitos pela Covid-19. Ao todo, seis estados e o Distrito Federal têm datas definidas para retorno às aulas presenciais.

(Edição: Leonardo Lellis)