Governo de São Paulo deve adiar reabertura das escolas para outubro

Previsão era que a retomada gradual ocorresse a partir de 8 de setembro, mas isso só seria possível se todo o estado estivesse por 28 dias na fase amarela

Raquel Landim
Por Raquel Landim, CNN  
06 de agosto de 2020 às 22:20 | Atualizado 07 de agosto de 2020 às 00:09

O governo de São Paulo deve adiar a previsão de reabertura das escolas para o dia 5 de outubro, conforme fontes envolvidas nas discussões. O anúncio será feito pelo governador João Doria nesta sexta-feira (7).

As instituições de ensino estão fechadas desde 23 de março para mitigar a transmissão do novo coronavírus.

A previsão inicial era que a retomada gradual ocorresse a partir de 8 de setembro, mas isso só seria possível se todo o estado estivesse por 28 dias na fase amarela, a terceira do plano de reabertura controlada, o que não vai ocorrer.

Leia também:

Justiça proíbe retomada das aulas na capital do Rio de Janeiro

'Por enquanto está tudo suspenso', diz governador do Pernambuco sobre festas

Faltando um mês para a data prevista, muitas regiões, sobretudo no interior, continuam nas fases laranja ou vermelha, na qual só funcionam os serviços essenciais.

Na noite desta quinta-feira (8) ainda era muito intensa a discussão entre as diferentes autoridades do governo paulista. Alguns defendiam a regionalização da abertura das escolas, permitindo que municípios nas fase amarela, como a capital paulista, comecem a retomar as aulas.

Um decreto editado pelo governo estadual permite fazer uma abertura com 80% da população na fase amarela, ao invés dos 100% inicialmente pretendidos, mas a pressão é para ir além. Também existe uma discussão de apenas autorizar a abertura das escolas municipais, mas deixar a decisão para os prefeitos.

O tema é bastante polêmico. Os professores da rede pública, que têm seus salários garantidos, não querem voltar às aulas. Nas redes particulares, a pressão é para a retomada porque muitos pais estão tirando seus filhos da escola.