Família afirma que agressor de entregador tem doença mental

Homem que humilhou motoboy teria esquizofrenia; caso terá de passar por perícia

Da CNN, em São Paulo
08 de agosto de 2020 às 19:18 | Atualizado 08 de agosto de 2020 às 19:20

Os pais do homem que humilhou um entregador em um condomínio de luxo em Valinhos, no interior de São Paulo, entregaram na delegacia um atestado afirmando que ele é esquizofrênico. O vídeo da agressão, registrado por outro morador, viralizou na sexta-feira (7).

Segundo os pais do agressor, ele passou por um tratamento de saúde mental em 2017. O delegado recebeu o documento e afirmou que isso não o torna "inimputável", e que agora o agressor "vai passar pelo exame de sanidade mental com peritos oficiais e somente depois disso haverá um desfecho do caso".

Leia também:

Entregador é vítima de racismo em condomínio de luxo em Valinhos (SP)

Negra Li: 'Multidão unida contra racismo dá esperança no futuro'

Racismo estrutural nas línguas: o preconceito em expressões de uso corrente

Brasileiro reconhece racismo, mas critica 'politicamente correto', diz pesquisa

Nas imagens, o morador do condomínio diz que o entregador tem "inveja das famílias" que moram ali e que nunca vai ter o que ele tem. O morador ainda aponta para a própria pele e diz: "Você tem inveja disso aqui".

O médico Guido Palomba explicou à CNN o que pode acontecer caso seja comprovada a doença. "Se de fato ele é doente mental esquizofrênico, e quem dirá isso são os peritos, o juiz, em vez de mandá-lo para a cadeia, manda-o para o manicômio judiciário ou tratamento ambulatorial, e ele é obrigado a fazer isso", afirmou o especialista.

Entregadores de aplicativo fizeram um protesto com buzinaço neste sábado (8) em frente ao condomínio de luxo. 

(Edição do texto: Paulo Toledo Piza).