CNJ pede explicações ao TJ-ES sobre caso da menina de 10 anos grávida

Corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, disse que é dever do poder público assegurar 'efetivação dos direitos à vida, à saúde, à dignidade'

Gabriela Coelho, da CNN, em Brasília
16 de agosto de 2020 às 15:00
Corregedor Nacional de Justiça, ministro Humberto Martins
Foto: Tomaz Silva -25.mar.2019/ Agência Brasil

O Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES) deverá prestar esclarecimento em 48h sobre as providências adotadas no caso da criança de dez anos que engravidou, após ser vítima de estupro, em São Mateus (ES). 

A determinação é do corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, que instaurou pedido de providências neste domingo (16).

“É dever do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos à vida, à saúde, à dignidade, além de não permitir que nenhuma criança ou adolescente seja negligenciado, discriminado ou explorado”, disse o ministro em trecho do despacho. 

Assista e leia também:
Mulheres denunciam abusos de líder espiritual na Bahia
Luciana Temer: país deve mudar mentalidade para reduzir abuso sexual infantil

Segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o caso chegou ao conhecimento da corregedoria por meio das notícias divulgadas na semana passada. 

O caso foi descoberto quando a criança deu entrada no sábado (8) no Hospital Estadual Roberto Silvares, em São Mateus, a 218 km de Vitória, com sinais de gravidez. No inquérito da Polícia Civil que investigou o crime, a menina disse que era estuprada pelo tio.