Ventilador pulmonar projetado pela Nasa será produzido no Brasil


Da CNN
25 de agosto de 2020 às 11:14 | Atualizado 25 de agosto de 2020 às 11:22

A Bahia vai produzir em larga escala o primeiro ventilador pulmonar projetado pela Nasa. O primeiro lote irá produzir 300 aparelhos ao custo de R$ 59 mil cada.

Para licenciar a tecnologia e iniciar a produção, a Nasa realizou uma chamada pública que atraiu 331 empresas do planeta e 30 do Brasil. Do total, 28 foram selecionadas – nove delas dos Estados Unidos e duas no Brasil (Cimatec e Russer) – para desenvolver e fabricar o produto.

Leia e assista também:
Ventilador pulmonar criado por engenheiros da USP é aprovado nos testes finais
Inteligência artificial será usada para mapear UTIs e ventiladores
Virologista diz que Holanda detectou caso de reinfecção por Covid-19

Primeiro ventilador pulmonar projetado pela Nasa e que será produzido em larga e

Primeiro ventilador pulmonar projetado pela Nasa e que será produzido em larga escala pela Bahia

Foto: CNN (25.ago.2020)

Durante cerca de dois meses e meio, o respirador passou por adaptações no Senai Cimatec, instituição vinculada à Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), para adequação às normas brasileiras.

Criado por uma equipe de engenheiros do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL), o equipamento será produzido pela indústria de equipamentos médicos Russer. Ele tem características e funções para o tratamento de 95% dos casos críticos da Covid-19 em que a entubação seja necessária.

A homologação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) foi obtida pela Russer, que tem mais de 35 anos de mercado na produção de equipamentos hospitalares.

(Edição: André Rigue)