Envolve mais de 2 milhões de pessoas, diz secretário de SP sobre volta às aulas

Secretário municipal de Saúde de São Paulo ressalta também o alto número de estudantes que vivem com pessoas de mais de 60 anos, consideradas grupo de risco

Da CNN, em São Paulo
27 de agosto de 2020 às 16:36

Novo inquérito sorológico feito com alunos do estado de São Paulo mostrou um aumento no número de estudantes que tiveram contato com a Covid-19 e desenvolveram anticorpos contra as doenças.

O secretário municipal de Saúde de São Paulo destaca, porém, que 7 em cada 10 crianças testadas estão assintomáticas, o que poderia afetar um setor que envolve mais de 2 milhões de pessoas.

“70% das crianças testadas estão assintomáticas. As escolas movimentam mais de 2 milhões de pessoas entre professores, perueiros, funcionários da escola, e não só as 700 mil estudantes. Não podemos colocar todas estas pessoas em risco. O retorno precisa ser estudado através dos dados”

Leia também

Sindicato das escolas particulares de SP entra com recurso por volta às aulas

SP: Mudar aprovação serve para reorganizar calendário escolar, diz especialista

Edson Aparecido, secretário municipal de Saúde de SP
Foto: Reprodução/CNN

Aparecido ressalta também o alto número de estudantes que vivem com pessoas que têm mais de 60 anos, consideradas grupo de maior risco para a doença, e ressaltou a decisão do Conselho Municipal de Saúde sobre o retorno de aulas presenciais.

“O inquérito nos aponta que 28% das crianças que tiveram contato com vírus moram em residência com familiares acima de 60 anos. Porém, o Conselho Municipal de Saúde tomou a decisão importante de que os pais terão a liberdade de enviar ou não os filhos para a escola, isso vai ajudar o processo de decisão das famílias.”

O inquérito sorológico da cidade de São Paulo agora vai realizar a terceira de suas quatro fases, com foco em alunos da rede privada e estadual de ensino. Segundo Aparecido, ao final das investigações a prefeitura vai “tomar decisão definitiva sobre a volta às aulas presenciais neste ano.”

(Edição: Sinara Peixoto)