Roger Abdelmassih tem prisão domiciliar revogada e terá que voltar para a cadeia

O ex-médico havia sido liberado para cumprir a pena em casa em abril, ao alegar que integra grupo de risco e estava suscetível ao novo coronavírus

da CNN, em São Paulo
29 de agosto de 2020 às 08:09 | Atualizado 29 de agosto de 2020 às 11:21

O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou, na última sexta-feira (28), que o ex-médico Roger Abdelmassih retorne à prisão para cumprir a pena de 173 anos por 49 crimes sexuais. Abdelmassih havia sido liberado para cumprir a pena em casa em abril, ao alegar que integra grupo de risco e estava suscetível ao novo coronavírus. 

O pedido ocorreu, pois, segundo o Ministério Público de São Paulo, houve violação da sentença. Dessa forma, os desembargadores que integram a 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça atenderam ao pedido do Ministério Público do Estado de São Paulo contrário a decisão da juíza Sueli Zeraik, que determinou, em 14 de abril, que o ex-médico cumprisse prisão domiciliar por ser considerado integrante do grupo de risco de contrair a Covid-19.

Leia também:
Justiça autoriza prisão domiciliar de Roger Abdelmassih

Agora, Abdelmassih terá que voltar para a Penitenciária de Tremembé, no interior do estado, onde cumpria pena de 173 anos de prisão em regime fechado, não tendo direito à progressão de regime para o aberto no momento.

(Edição: Paula Bezerra)